7 itens que indicam que um carro foi recuperado de perda total

7 itens que indicam que um carro foi recuperado de perda total

Antes de tudo é importante entender o conceito. Teoricamente, classifica-se como perda total qualquer automóvel cujo custo de reparação após um sinistro ultrapasse os 75% do valor segurado. Como os valores, nesse caso, são bastante altos, dá para imaginar que estamos falando de danos seríssimos no veículo, que podem colocar a vida do condutor em risco iminente de acidente fatal.

Você sabe como identificar um carro com perda total? Descubra algumas dicas espetaculares para não correr risco de ser lesado na hora de comprar o automóvel dos seus sonhos!

1. Portas desalinhadas

Esse é um dos elementos mais fáceis de serem identificados. Abra e feche todas as portas diversas vezes para sentir se há qualquer dificuldade na realização do movimento. Os vãos entre as portas devem estar milimetricamente iguais!

2. Cheiro de umidade

Muita cautela com essa questão! Indícios de lama, de mofo ou de ferrugem no porta-luvas, no painel e abaixo dos bancos. Se encontrar um carro com essas características, as chances são enormes de ter havido perda total por enchente.

3. Vidros com códigos diferentes

Não existe crime perfeito! Alguns desmanches mais amadores costumam cometer o deslize de fixar vidros de carros diferentes, o que gera a divergência nos números gravados. Se você encontrou diferença nesses números, esqueça a compra!

4. Teto com sinais de reparação

Olhe à luz do dia e com muita atenção o brilho da pintura. Se houver qualquer descontinuidade na cor ou nas marcas próximas ao início do vinco das portas, você pode estar diante de um veículo totalmente recuperado após algum acidente grave.

5. Longarina com sinais de fixação

Essa é a base mais importante do automóvel, uma espécie de viga que confere resistência a toda a estrutura do carro. Se esta for soldada inadequadamente, provavelmente o veículo terá pouca ou nenhuma estabilidade em velocidades mais altas.

6. Assoalho com perfurações

Não se deixe enganar pelos tapetes. A melhor maneira de ver o assoalho é olhando debaixo para cima, ou seja, tire os tapetes e suspenda o veículo para olhar o solo do carro com precisão. Se houver qualquer sinal de corrosão, ferrugem ou de que o assoalho foi refeito, melhor pensar duas vezes antes de assinar os documentos de compra.

7. Eixo traseiro desalinhado

Isso pode indicar que o veículo sofreu uma batida forte, talvez forte o suficiente para ter inutilizado o automóvel permanentemente. Muita atenção com esse detalhe!

Veículos que sofreram danos irreversíveis — o famoso “PT” — deveriam estar fora de circulação. Entretanto, a falta de fiscalização e a dificuldade em detectar desmanches e oficinas ilegais de reconstrução (maquiagem) de automóveis faz com que, todos os dias, dezenas de carros retornem ao mercado “fantasiados” de carros seminovos.

Além de todas as dicas fornecidas acima, o essencial é fazer uma longa e detalhada pesquisa sobre o histórico do veículo, municiado de dados como placa, Renavam e chassi. A partir desses números, é possível verificar informações sobre débitos em aberto, sinistros anteriores, histórico de roubos e informação sobre se o veículo já foi ofertado em leilão.

Já teve alguma experiência amarga com a compra de um carro recuperado da perda total? Conte-nos abaixo sobre isso!

 

Autor

O Carcheck é uma ferramenta que visa a segurança na negociação de veículos usados, permitindo ao consumidor analisar cuidadosamente vários indicadores de segurança além de toda a trajetória do veiculo desde o seu primeiro registro junto aos órgãos competentes(Detran, Denatran, Dnit, Financeiras e etc) até o dia da aquisição.

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *