Os 5 golpes mais comuns em veículos usados (e como não cair neles!)

Os 5 golpes mais comuns em veículos usados (e como não cair neles!)

Um dos receios ao se comprar um carro usado é quanto aos pequenos golpes aplicados por vendedores que agem com má fé e enganam o consumidor. Principalmente no que diz respeito ao verdadeiro estado de conservação do carro. Ou seja, o cliente aposta na fraude e acaba levando um veículo mais antigo e em piores condições do que imaginava. Mas, se você tomar as precauções adequadas e manter olho vivo, não cairá nesse tipo de malandragem. Veja a seguir algumas dicas sobre os golpes mais aplicados na praça. Descubra como não cair neles!

 

1 – Remendos camuflados na lataria.

Muitos veículos seminovos, justamente por conta de seu tempo de uso, podem exibir marcas de ferrugem, buracos ou arranhões mais profundos. Para disfarçar esses pequenos estragos, sem que se gaste muito, os proprietários costumam fazer remendos na lataria. O problema é que nem sempre eles arcam com um serviço adequado de lanternagem para consertar o carro. Para fugir dessa situação, avalie cuidadosamente a parte externa do automóvel à luz do dia, seja meticuloso com seu olhar e passe a mão levemente sobre superfícies que achar desniveladas.

 

2 – Desconto exagerado no preço do carro.

Se o vendedor está oferecendo um desconto muito grande em relação ao preço médio de mercado daquele modelo, com a mesma cor e de mesmo ano, é difícil não suspeitar que o veículo esconda alguma coisa errada, ainda que pareça apresentar excelentes condições na lataria, no motor e nas peças principais. Na pior das hipóteses, se a oferta for irrecusável, não seja afobado para fechar rapidamente o negócio. Antes, leve o automóvel para um check-up geral e bem minucioso com o mecânico de sua confiança.

 

3 – Odômetro adulterado.

Um clássico da falsificação no comércio desleal de carros usados é a adulteração do odômetro. Isso é feito para baixar a quilometragem e passar a impressão de que o veículo rodou menos do que realmente fora usado. É um truque para fazê-lo parecer mais novo. Ao examinar o automóvel, compare com o estado de outras peças e acessórios, como o volante, os bancos, os pedais e o câmbio. As condições gerais do carro devem ser coerentes com a quilometragem indicada.

 

4 – Falta de catalisador.

Mais um golpe razoavelmente conhecido é o furto do catalisador, peça importantíssima do sistema de escapamento do automóvel. Esta peça é formada por um núcleo feito de cerâmica ou de metal, e custa um bom preço no mercado. Por isso, um vendedor trapaceiro pode substituir o componente, deixando em seu lugar uma carcaça oca de metal, a fim de revender o original separadamente e lucrar no mercado de autopeças. Se estiver desconfiado, bata de leve no espaço do catalisador, na parte inferior do carro. O som emanado deve ser breve e seco, ao invés de um barulho com eco. Mais uma vez, pode ser conveniente levar o carro para uma checagem mecânica na oficina onde costuma frequentar.

 

5 – Limpeza excessiva do motor e da parte inferior do carro.

Se o motor e a parte de baixo do veículo estiverem extremamente asseados, desconfie. Afinal, é normal que o carro acumule um pouco de sujeira e óleo, visto que é utilizado em vias e estradas. Portanto ele fica em contato permanente com terra, fuligem e outras sujeiras. O automóvel pode ter sido limpo com o objetivo de encobrir vazamentos de óleo e de outros fluidos.

 

Se você estiver atento, conseguirá escapar das maquiagens que os péssimos vendedores fazem nos carros. Mas há muitos bons carros usados e comerciantes honestos no mercado. Procure com calma, e com certeza você fará um ótimo negócio comprando seu carro usado!

Autor

O Carcheck é uma ferramenta que visa a segurança na negociação de veículos usados, permitindo ao consumidor analisar cuidadosamente vários indicadores de segurança além de toda a trajetória do veiculo desde o seu primeiro registro junto aos órgãos competentes(Detran, Denatran, Dnit, Financeiras e etc) até o dia da aquisição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *