Meu carro foi clonado, e agora? Saiba como regularizar

Meu carro foi clonado, e agora? Saiba como regularizar

Uma das maiores dores de cabeça que um motorista pode enfrentar é ter seu carro clonado. Infelizmente, essa prática tem se tornado mais comum no Brasil e, geralmente, a vítima da história precisa de muita paciência, dedicação e tempo para provar sua inocência e reverter essa dramática situação.

Seu carro foi clonado? Confira tudo sobre esse delicado assunto no texto a seguir!

Como se clona um carro?

A clonagem de um veículo nada mais é do que uma adaptação. Para haver clonagem, os modelos têm que ser idênticos, tanto no ano quanto em cor.

A partir dos dados do veículo original, o carro clone é alterado. As clonagens mais comuns envolvem apenas a duplicação de placas, porém, há casos onde até mesmo o número do chassi é clonado.

Nos casos de alteração chassi, os criminosos transformam os números 3 e 5 em número 8, assim como o 4 pode ser transformado em 9 e o 1 em 7. As letras também não escapam das adulterações, o F pode virar E, o P, muitas vezes, é transformado em R e a letra H se transforma em K. A adulteração de chassi pode ser detectada com desalinhamento e espaçamento maior.

Quais os motivos de se clonar um carro?

A causa mais comum para se clonar um veículo é legalizar um automóvel roubado para que ele possa voltar a circular tranquilamente pelas ruas novamente. Há também os casos de carros comprados em leilão, que não possuem a documentação necessária para serem utilizados. Também os vendedores de má fé, que compram carros de origem incorreta e os revendem por preços mais baixos que os praticados pela tabela de mercado.

Como não cair no golpe e não comprar um carro clonado?

Para não cair nesse golpe, é necessário que haja atenção. A primeira coisa que se deve avaliar é o preço do veículo, se for muito mais barato do que o preço do mercado, desconfie.

A melhor maneira de saber se um veículo é clonado ou não é utilizando sites que permitem rastrear o histórico do veículo. Nesses sites, é possível saber se o carro já foi roubado, quem era o antigo dono e até mesmo se o veículo já foi recuperado de uma batida.

O que acontece com quem compra um carro clonado?

Um motorista, por mais correto e honesto que seja, pode comprar um carro clonado se não verificar tudo sobre o veículo. Caso compre sem saber e seja descoberto o clone, o veículo será apreendido, pois não tem licença para rodar na rua.

Por isso, é muito importante sempre ter notas e recibos que comprovem a fonte de onde o veículo foi obtido. Caso o comprador não consiga provar que realmente comprou, ele pode responder na justiça por crime de receptação.

Como provar que o veículo foi clonado?

Muitas vezes, o proprietário só sabe que o carro foi clonado após receber uma multa de um local que não esteve ou não costuma trafegar. Para comprovar que seu veículo foi clonado e você é a vítima da história, é necessário apresentar comprovações de que o veículo é seu e entrar com uma reclamação formal. São necessários:

  • 4 fotos do veículo que mostrem características próprias, como adesivos, arranhões, amassados e modelos de roda;
  • Boletim de ocorrência;
  • Comprovante de compra do veículo;
  • Documento do veículo;
  • CNH do proprietário;
  • Recurso de multa – caso haja algum recurso.

Ao registrar a reclamação no Detran, uma verificação para conferência de números de motor e chassi será agendada e realizada em até 20 dias. Mostrar que você é inocente e não tem culpa alguma é primordial para sua segurança e também para sua economia. Antes de comprar um carro usado, vasculhar todas as informações possíveis é a melhor forma de evitar adquirir um carro clonado.

Já foi vítima ou conhece alguém que teve o carro clonado? Qual foi o fim dessa história? Utilize os campos de comentários para nos deixar a par de como tudo foi resolvido!

 

Autor

O Carcheck é uma ferramenta que visa a segurança na negociação de veículos usados, permitindo ao consumidor analisar cuidadosamente vários indicadores de segurança além de toda a trajetória do veiculo desde o seu primeiro registro junto aos órgãos competentes(Detran, Denatran, Dnit, Financeiras e etc) até o dia da aquisição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *