Tudo o que você precisa saber sobre a liberação de carros rebaixados pelo Detran

Tudo o que você precisa saber sobre a liberação de carros rebaixados pelo Detran

Para quem curte turbinar o 0 km, o rebaixamento do piso é o que há, ainda mais depois de finalmente ter sido totalmente regulamentado pelo CONTRAN, o Conselho Nacional de Trânsito. Mais aerodinâmica, mais estabilidade, um visual esportivo e, claro, a paixão por novas experiências sobre quatro rodas são alguns dos atrativos que levam muitos motoristas a personalizarem os seus veículos. Mas é preciso muito cuidado na hora de modificar peças originais importantes, como a suspensão: a estrutura do seu carro pode ficar comprometida e o risco de se envolver em acidentes — e tomar uma multa — pode aumentar consideravelmente.

Está a fim de transformar o seu modelo tradicional em um rebaixado veloz e furioso? Prepare-se para enfrentar muita burocracia e fique atento ao que você pode e não pode fazer de acordo com a nova lei!

Por dentro da legislação

Antes de fazer mudanças no seu carro, verifique se o que você está querendo é permitido pela lei. Em 2014, a resolução 479 liberou as suspensões reguláveis e variáveis, que estavam vetadas desde as resoluções 291 e 292 de 2008.

Já o retrabalho no conjunto de molas do veículo e nos dispositivos da suspensão continuam proibidos. Portanto, abra o Código Nacional de Trânsito: lá você encontrará todas as explicações sobre o que pode ser feito de acordo com o modelo do seu automóvel, além de várias tabelas com as medidas autorizadas.

O que pode

A utilização de suspensões variáveis para veículos de até 3.500 kg está liberada, desde que a medida entre o chão e o ponto mais baixo do chassi — altura de rodagem — seja de, pelo menos, 100 milímetros. Fora a altura mínima de rodagem, a outra exigência tem a ver com os pneus que não podem, em hipótese alguma, encostar na carroceria quando passarem pelo teste de esterçamento. Essa avaliação, por sua vez, é usada para verificar se as rodas traseiras perdem tração sob determinadas condições de pista e de velocidade.

CRLV

Todas as mudanças devem ser registradas no Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV). Depois de ter recebido a autorização prévia de um delegado do Detran, proceda com o rebaixamento do piso em uma oficina especializada.

A seguir, será preciso que o Inmetro avalie o seu novo sistema de suspensão. Se as mudanças forem aprovadas, você receberá o Certificado de Segurança.

É esse certificado que você deve levar ao guichê do Detran para que sejam incluídas, na guia do seu CRLV, as novas medidas da altura do seu veículo em relação ao chão. Como você viu, a lei facilitou bastante a vida dos motoristas que querem altas emoções e que querem obter cada vez mais desempenho do seu veículo, principalmente nas curvas.

Para viabilizar performances impecáveis, fanáticos por velocidade topam até abrir mão do conforto para os passageiros, já que carros rebaixados tendem a ser mais vulneráveis aos obstáculos da pista, chegando a “sacolejar” muito mais. Mas é preciso ficar bem atento ao que dizem as resoluções, pois veículos fora do padrão, por mais esportivos e bonitos que pareçam, são passíveis de multas bastante salgadas.

Pensando em rebaixar o piso do seu carro? Tem mais alguma dúvida? Converse com a gente pelos comentários!

Autor

O Carcheck é uma ferramenta que visa a segurança na negociação de veículos usados, permitindo ao consumidor analisar cuidadosamente vários indicadores de segurança além de toda a trajetória do veiculo desde o seu primeiro registro junto aos órgãos competentes(Detran, Denatran, Dnit, Financeiras e etc) até o dia da aquisição.

3 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *