IPVA: como a tabela pode ajudar na decisão de compra de um carro?

IPVA: como a tabela pode ajudar na decisão de compra de um carro?

Ao comprar um veículo, você precisa analisar cuidadosamente se o valor negociado está adequado à suas condições, bem como verificar no Detran do seu estado a regularidade da documentação para evitar dores de cabeça no futuro. Você sabia que o IPVA pode ajudar até na negociação do carro?

Fique atento aos demais custos que você terá de arcar, como seguro, manutenção, combustível, licenciamento e IPVA. Além disso, existem ferramentas de consulta de placas que podem lhe ajudar nesse momento.

Vamos explicar o que é a tabela IPVA e como você pode usá-la da melhor maneira na compra do veículo. Acompanhe!

O que é o IPVA?

O Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) foi criado há aproximadamente 30 anos para substituir a Taxa Rodoviária Única (TRU). Ele é cobrado anualmente pelos governos estaduais, de pessoas que têm carros, motocicletas ou qualquer outro tipo de veículo automotor.

É preciso atenção, uma vez que o IPVA é recolhido no início do ano, portanto, deve estar previsto no orçamento.

Cada estado é responsável pela sua cobrança e determina a alíquota a ser arrecadada em sua região. O valor do imposto é destinado às despesas governamentais diversas. Ao contrário do que se pensa, ele não é usado apenas na conservação de vias.

Como funciona o cálculo da tabela IPVA?

Cada tipo de veículo tem um custo diferente a ser cobrado pelo IPVA. O valor é baseado na Tabela FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), a mesma que usamos para referência dos preços de carros.

Geralmente, os estados cobram o tributo com índices que variam de 1% a 4% do valor de tabela do veículo.

Como a tabela IPVA pode ajudar na decisão de compra?

Conhecendo a tabela do IPVA, você terá em suas mãos mais informações sobre o veículo que deseja comprar. Isso lhe dará algumas vantagens na hora da negociação, por exemplo. Veja como ela pode ajudar você a tomar a decisão certa!

Melhor época para a compra

A definição sobre a melhor época do ano para se comprar um carro usado ou seminovo pode ser baseada na tabela IPVA. Isso porque o pagamento ou não do tributo deve estar na sua base de cálculo de gastos com a aquisição.

Por exemplo: se comprar após os primeiros meses do ano, provavelmente vai pegar um veículo com o IPVA pago, já que as concessionárias costumam oferecer esse benefício como promoção.

Se for comprar de pessoa física, também vale a mesma regra. O proprietário provavelmente já terá arcado com esse custo e você só terá que fazê-lo no próximo ano. Só é preciso verificar se o carro está com a documentação em dia.

Negociação do valor do veículo

Por um lado, como mencionamos, é bom comprar o carro com o imposto pago e o melhor momento para isso é após os primeiros meses do ano, quando os estados já recolheram o tributo.

Contudo, se você adquirir o veículo em outra época, poderá usar essa informação na negociação do valor. Se o imposto não tiver sido pago ainda é possível pedir para baixar o preço do carro, já que terá todo o trabalho e custos sob sua responsabilidade.

Como devo planejar o pagamento do tributo?

O IPVA é cobrado pelos estados de três maneiras:

  • à vista com desconto, em janeiro;
  • à vista sem desconto, em fevereiro;
  • em até três parcelas.

Vale lembrar que a data de vencimento sempre está relacionada ao final da placa do veículo e pode variar de acordo com o estado. Em alguns, são isentos do tributo os taxistas, portadores de deficiência física, carros de autarquias públicas ou de fundações, entre outros. Veículos que já têm mais de 15 a 20 anos de fabricação também não pagam IPVA (isso varia de acordo com o estado).

Lembre-se de ficar atento à tabela IPVA do seu estado e deixar o pagamento sempre em dia. Sem ele, você não consegue licenciar o carro. Para saber mais sobre o que acontece com quem atrasa esse tributo, leia o outro artigo que preparamos.

Autor

O Carcheck é uma ferramenta que visa a segurança na negociação de veículos usados, permitindo ao consumidor analisar cuidadosamente vários indicadores de segurança além de toda a trajetória do veiculo desde o seu primeiro registro junto aos órgãos competentes(Detran, Denatran, Dnit, Financeiras e etc) até o dia da aquisição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *