Roubaram meu carro e agora?

Roubaram meu carro e agora?

Uma das piores experiências para proprietários de veículos é passar por uma situação de furto ou roubo. Caso isso aconteça é preciso respirar fundo e tentar não perder o controle. Além disso, seguir as dicas contidas aqui vai ajudar a aumentar a possibilidade de localizar o carro e também diminuir o mal estar de perder algo que se lutou tanto para conquistar.

Guarde com atenção os passos a seguir, pois são informações que podem até não serem necessárias para você, mas ao ter conhecimento pode ajudar um amigo, parente ou mesmo uma pessoa vítima desse tipo de crime que esteja desesperada.

As dicas abaixo são tão importantes e necessárias de serem seguidas como estas: nunca deixar o documento do carro (ainda mais se for original) no porta luvas, evitar esquecer o veículo destrancado ou estacionado com a chave no contato.

Roubo ou furto?

Para você pode não fazer a tanta diferença, mas para os órgãos de segurança pública roubo e furto não é a mesma coisa. O que define entre um e outro é a forma como o crime aconteceu.

No caso de haver violência, é definido como roubo. Por exemplo, se uma pessoa para o carro no semáforo e o ladrão faz uma abordagem armado.

O furto difere justamente em como o fato aconteceu com relação à vítima. Se o veículo ficou estacionado na rua e quando o dono voltou já não estava mais lá, ocorreu um furto.

Primeiros passos

Se o seu carro é roubado ou furtado, o quanto antes deve avisar as autoridades policiais. O primeiro passo deve ser ligar para a Polícia Militar, na chamada de emergência 190. A PM costuma atuar principalmente nas primeiras horas do crime, pode fazer rondas na região onde levaram o veículo e uma central avisa todas as viaturas que estão na rua sobre o que aconteceu.

Ao avisar a PM, deve repassar o máximo de detalhes e características do automóvel. Modelo, cor, tipo de roda, placa, possíveis defeitos na lataria e adesivos nos vidros. Tudo que possa ajudar na identificação. Se teve a oportunidade de ver o rumo que o ladrão tomou, pode repassar esses dados para a Polícia Militar.

Nunca é recomendado tentar perseguir o bandido ou fazer buscas sozinho. Esse é um perigo alto e desnecessário para correr, principalmente depois de ter sido roubado ou furtado e estar com carga de estresse elevada.

Registro da ocorrência e investigação

Depois do comunicado à Polícia Militar, registre o crime na delegacia da Polícia Civil. O número de emergência do órgão de segurança pública é o 197. Essa autoridade tem a jurisdição de investigar o crime e atuar de forma prolongada no caso. Ela elabora o boletim de ocorrência, conhecido também como B.O.

Esse documento é fundamental para comprovar que o veículo foi furtado ou roubado e isentar o proprietário de qualquer responsabilidade sobre um acidente, multa ou cobrança que possa acontecer depois do crime. Também serve para comunicar formalmente a seguradora.

O registro do boletim da ocorrência pode ser feito em uma delegacia da Polícia Civil próxima de onde ocorreu o crime, no plantão policial (caso o fato ocorra durante a noite ou no final de semana) e alguns estados disponibilizam sites da polícia para a notificação. A vítima deve fazer o registro o quanto antes, pois isso isenta a pessoa de possíveis problemas e ainda aumenta a chance de localização do veículo.

Caso o crime tenha ocorrido em uma rodovia federal (conhecidas como BRs), o comunicado é feito à Polícia Rodoviária Federal, primeiramente. Veja lista de estados que possuem registro de boletim online:

Esses registros são inteiramente gratuitos, portanto suspeite se alguém tentar cobrar algum valor por sua execução. Cuidado também com promessas de localização de veículos mediante taxas. Esses serviços não são confiáveis!

Existem também alguns sites que informam se veículos foram furtados ou roubados, como o da Secretaria Nacional de Segurança Pública e o do Carcheck (este pode ser muito válido quando você quer confirmar se um carro que pretende comprar tem algum problema. Se confirmar o crime, avise a polícia).

Quem mais precisa saber sobre o crime

Quem tem seguro, precisa acionar a empresa para tentar diminuir o prejuízo e comunicar o sinistro. A seguradora vai solicitar uma cópia do boletim de ocorrência elaborado pela Polícia Civil, além da CNH (carteira nacional de habilitação), RG (carteira de identidade), CPF do segurado e o DUT (documento único de trânsito) do veículo.

Depois de ligar para o telefone de atendimento da empresa seguradora, procure o agente que vendeu o serviço para receber orientações de como receber o prêmio do seu seguro. Algumas empresas disponibilizam esse registro pela internet também.

Os usuários que tem o serviço que facilita a cobrança de pedágio devem também comunicar a empresa sobre o crime. Isso permite que não seja cobrada taxas geradas posteriormente ao roubo ou furto e também não precise pagar a multa por perda do aparelho. É necessário enviar o B.O para confirmar a ocorrência.

Tomar essas providências vai tornar o fardo desse crime na vida da vítima um pouco menor. E com sorte, há a chance de localizar o veículo se a notificação for feita com rapidez. Sobretudo, seguir essas orientações elimina a chance de problemas, como morosidade em receber do seguro ou pagar taxas de serviços que podem ser evitadas.

Você já passou por essa desagradável situação? Como lidou com ela? Conte para a gente, nos comentários!

Autor

O Carcheck é uma ferramenta que visa a segurança na negociação de veículos usados, permitindo ao consumidor analisar cuidadosamente vários indicadores de segurança além de toda a trajetória do veiculo desde o seu primeiro registro junto aos órgãos competentes(Detran, Denatran, Dnit, Financeiras e etc) até o dia da aquisição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *