Por que álcool é adicionado à gasolina no Brasil?

Por que álcool é adicionado à gasolina no Brasil?

O combustível e a variação do preço são de longe um dos assuntos mais recorrentes entre a sociedade brasileira e já até virou motivo de protestos. O que muitos não sabem é que a composição da gasolina influencia diretamente em seu preço. E impressionantes 27% da gasolina são compostos pelo Etanol Anidro. Entenda um pouco sobre a adição do álcool à gasolina no post de hoje!

Diferenciando os etanois

Vamos por partes. Hoje existem dois tipos de etanol com forte presença no mercado: o Etanol Anidro Combustível e o Etanol Hidratado Combustível. O primeiro é o etanol adicionado na gasolina que consumimos normalmente, mas que não é encontrado nas bombas de postos. Ele possui uma coloração alaranjada e atua elevando a octanagem, capacidade da gasolina de resistir à compressão sem entrar em autoignição.

O segundo é o etanol que consumimos como combustível e que é encontrado nos postos. É o mesmo usado na produção de bebidas, remédios e cosméticos, diferenciando-os no processo de pós-fabricação. Ele tem um aspecto incolor e límpido.

Quando a mistura começou a ser utilizada no Brasil

A crise do petróleo de 1979 gerou uma complicação em relação à gasolina no país. Os problemas decorrentes no Irã geraram consequências no preço do petróleo em todo o mundo e por isso os países precisaram se reinventar no quesito energético.

No caso do Brasil, o ProÁlcool, foi um programa que incentivou a produção do álcool e passou a regulamentar a adição do álcool na gasolina — prática que se tornaria muito útil tanto para a manutenção do seu preço quanto para a sustentabilidade do combustível.

E a sustentabilidade, onde fica?

Uma das consequências mais importantes da adição do álcool à gasolina é seu impacto ambiental. Primeiramente, o uso do Etanol Anidro na gasolina substitui o antigo componente, Chumbo Tetraetila, que é um químico altamente tóxico e poluente. O álcool, por sua vez, possui um impacto muito menor no meio ambiente.

É sempre bom ressaltar que o álcool é um componente renovável, o que permite uma sustentabilidade econômica por parte dos fabricantes. Eles não ficam reféns da instabilidade da matéria prima, antes não renovável, que pode eventualmente faltar e trazer consequências desastrosas para a produção da gasolina.

O etanol e o preço da gasolina

O que nos leva ao impacto no preço final para o consumidor. A porcentagem de 27% influi diretamente no montante final que calcula o preço total da gasolina. Por ser um componente produzido pelas usinas de cana-de-açúcar em alguns momentos, como os de safra, ele barateia o custo final. Mas ao mesmo tempo, quando as usinas se encontram na entressafra, o preço também se reajusta, encarecendo um pouco o valor final.

A presença do álcool na gasolina gera grandes impactos para os consumidores: no preço e na qualidade do ar que respiramos. E você? Sabia da presença do álcool na gasolina? Compartilhe conosco sua opinião!

 

 

Autor

O Carcheck é uma ferramenta que visa a segurança na negociação de veículos usados, permitindo ao consumidor analisar cuidadosamente vários indicadores de segurança além de toda a trajetória do veiculo desde o seu primeiro registro junto aos órgãos competentes(Detran, Denatran, Dnit, Financeiras e etc) até o dia da aquisição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *