Como é calculado o valor do IPVA para carros usados

Como é calculado o valor do IPVA para carros usados

Impostos são valores pagos ao governo a fim de custear gastos públicos. No Brasil, é feita a cobrança de 12 tipos diferentes de impostos, que podem incidir tanto sobre a renda quanto sobre o patrimônio de pessoas físicas ou jurídicas. Um desses impostos é o IPVA — Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores — que é uma taxa cujo pagamento é obrigatório para proprietários de carros, motos, caminhões, vans e, enfim, automóveis em geral. No entanto, o cálculo do IPVA no caso de veículos usados é feito de uma forma diferente do que o cálculo do mesmo imposto para veículos novos. Quer saber mais? Então confira agora mesmo o nosso post:

O que é e para que serve o IPVA?

O IPVA é um imposto cuja responsabilidade é de cada estado do Brasil, e que é cobrado anualmente sobre proprietários de veículos automotores. Esse imposto é sempre relativo ao ano em que é cobrado — por exemplo, o IPVA cobrado em 2015 será relativo a esse mesmo ano. Diferentemente do que esse imposto poderia sugerir intuitivamente, o valor arrecadado através dele não necessariamente precisa ser gasto na construção ou melhoria de estradas, ruas e outros que se relacionam com automóveis: esse valor é dividido meio a meio entre o estado e o município em que o veículo está licenciado, e ele pode ser gasto também com saúde, educação, segurança ou quaisquer outros gastos públicos que sejam adequados.

Como o cálculo do IPVA é feito?

Como o IPVA é um imposto estadual, a alíquota que incide sobre o veículo varia de acordo com a região do país onde o mesmo se encontra licenciado. As alíquotas sobre automóveis, veículos de uso misto e utilitários vão desde 2% em estados como por exemplo Santa Catarina e Tocantins, até 4% no caso de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro.

Além da alíquota, o valor final do IPVA se baseia em outra variável, que vai depender caso o veículo seja novo ou usado. Por veículo novo entende-se todo veículo que é zero quilômetros, e, por veículo usado, entende-se qualquer veículo que tenha alguma quilometragem rodada.

Veículo novo

O cálculo do IPVA de veículos novos será proporcional aos meses de uso do veículo e se dá pela multiplicação da alíquota, que varia de acordo com o estado, pelo valor que consta na nota fiscal. Por exemplo, se um veículo for comprado no mês de outubro, o cálculo de seu IPVA será o valor que consta na nota fiscal multiplicado pela alíquota do estado onde está licenciado, o que será calculado proporcionalmente aos meses de novembro e dezembro do mesmo ano.

Veículo usado

Já o cálculo do IPVA de veículos usados se dá pela multiplicação da alíquota pelo valor do veículo de acordo com a tabela Fipe — que é uma tabela que indica os valores do carro usado baseando-se no preço médio no mercado nacional do modelo e do ano do veículo. É importante também ressaltar que esse valor da tabela não se baseia em variáveis como cor, estado de conservação, acessórios ou quaisquer outros fatores do tipo.

Por exemplo: quanto o proprietário de um automóvel de valor R$35.000 de acordo com a tabela Fipe paga de IPVA se o mesmo for licenciado em Minas Gerais?

R$35.000 x 0,04 = R$1.400

E quanto o proprietário de um automóvel de valor R$35.000 de acordo com a tabela Fipe paga de IPVA se o mesmo for licenciado em Santa Catarina?

R$35.000 x 0,02 = R$700

Também vale lembrar que veículos antigos são isentos do pagamento desse imposto. No entanto, essa regra é diferente para cada estado do país: dependendo do estado, será considerado veículo antigo aquele com mais de 10, 15 ou 20 anos a partir da data de fabricação.

Agora comente aqui e nos diga se sobrou alguma dúvida ou se gostaria de acrescentar mais alguma informação! Compartilhe conosco as suas experiências e participe da conversa!

 

Autor

O Carcheck é uma ferramenta que visa a segurança na negociação de veículos usados, permitindo ao consumidor analisar cuidadosamente vários indicadores de segurança além de toda a trajetória do veiculo desde o seu primeiro registro junto aos órgãos competentes(Detran, Denatran, Dnit, Financeiras e etc) até o dia da aquisição.

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *