Modificações no carro: quando agrega valor e o que dificulta a revenda?

Modificações no carro: quando agrega valor e o que dificulta a revenda?

Investiu dinheiro instalando acessórios no carro e agora chegou a hora de vendê-lo? Neste post, falaremos sobre algumas modificações no carro que podem valorizar o seu veículo na hora da venda, outras que podem gerar efeito inverso, e até mesmo aquelas que são ilegais e têm que ser revertidas. Continue acompanhando e confira.

Películas

Talvez a mais comum entre as modificações, a película nos vidros (também conhecida como insufilm) pode ajudar a controlar a temperatura da cabine e a dar mais segurança e privacidade aos ocupantes, além de ser um acessório de estilo.

A película exige um investimento pequeno e pode ser um atrativo no momento da venda, mas fique atento! Há uma legislação que limita a opacidade das películas em 75% no para-brisa. Janelas laterais têm um limite de 70% na dianteira e 28% nas traseiras. O insufilm “G5” não é permitido por lei.

Acessórios originais

Diversas montadoras oferecem em sua linha pacotes de acessórios sem que seja alterada a versão do carro. Esses pacotes podem incluir ar-condicionado, direção hidráulica, vidros elétricos, alarme, rodas de liga leve, centrais multimídia, entre outros.

Os acessórios de fábrica, por mais que não modifiquem o valor de tabela, são um imenso diferencial na hora da venda e podem valorizar muito o automóvel. Alguns carros, inclusive, são difíceis de vender sem alguns dos acessórios. Em regiões quentes do país, por exemplo, o ar-condicionado é essencial.

Faróis

Muito na moda, as lâmpadas de xênon (facilmente reconhecíveis por sua coloração azulada) são ilegais tanto nos faróis principais quanto nos auxiliares (milhas e neblina). Apenas os carros que têm esse acessório original de fábrica, com lavadores e projetores, podem circular com ele.

Já as lâmpadas conhecidas como super brancas são permitidas por lei, mas não interferem muito na venda do carro.

Suspensão

Carros rebaixados tendem a perder valor ao serem vendidos, uma vez que exigem manutenção mais complexa.

O carro deve manter altura de pelo menos 10cm em relação ao solo e passar por um processo de legalização no DETRAN para alteração do documento. Por esse motivo, tente sempre reverter a suspensão do carro para a altura original.

Rodas

Colocar rodas de liga leve ou de aro maior no carro podem potencializar a venda do veículo, mas muito cuidado, pois exageros podem desvalorizar o carro ou até mesmo serem ilegais.

A legislação brasileira permite que sejam colocadas rodas de aro maior. Desde que a soma do tamanho da roda e do pneu não se altere e que as rodas não fiquem para fora do para-lamas do carro, qualquer dimensão é permitida.

É uma prática muito frequente manter as rodas originais guardadas e vender as compradas separadamente.

Performance

No Brasil, as modificações de performance são muito restritivas, sendo permitido aumentar a potência de um veículo em até 10% apenas. Qualquer modificação precisa passar por um processo caro e demorado no DETRAN.

Assim como as modificações de suspensão, se possível, as modificações de performance devem ser revertidas na hora da venda.

Um pouco mais tranquilo sobre o que fazer com os acessórios e modificações no carro? Aproveite para nos contar sobre sua máquina nos comentários. Ficou com alguma dúvida? Comente também.

 

Autor

O Carcheck é uma ferramenta que visa a segurança na negociação de veículos usados, permitindo ao consumidor analisar cuidadosamente vários indicadores de segurança além de toda a trajetória do veiculo desde o seu primeiro registro junto aos órgãos competentes(Detran, Denatran, Dnit, Financeiras e etc) até o dia da aquisição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *