Saiba tudo o que a placa do carro diz sobre o veículo

Saiba tudo o que a placa do carro diz sobre o veículo

Um carro carrega um rico histórico em apenas um lugar: a placa. É a partir dela que você pode descobrir de onde veio aquele modelo, se é de alguma autoridade ou mesmo transformá-la em um objeto personalizado.

É fundamental entender os códigos que estão contidos na placa. Quem é curioso pode descobrir coisas que não imaginava, só observando a série de letras e números.

Quer entender como tudo isso é possível? Confira o nosso artigo!

RG do carro

A placa de um veículo possibilita obter diversas informações sobre ele. Análogo aos documentos pessoais de um cidadão, pode-se dizer que ela é uma RG automobilística.

A disposição das letras e dos números é feita de forma organizada pelo Detran e permite a leitura de alguns detalhes para quem tem conhecimento do assunto. As letras, por exemplo, têm relação direta com a origem do carro. A combinação permite identificar onde o veículo foi emplacado e, de forma um pouco mais aprofundada, saber mais ou menos a época em que isso aconteceu.

Isso porque, no geral, os números e as letras possuem uma vida útil. A combinação é utilizada por um determinado tempo até expirar. Assim, é possível pesquisar os anos em que tais letras e números foram usados.

Emplacamento e tarjeta

A tarjeta é onde aparece escrito a cidade onde o documento do carro está registrado. Essa parte da placa pode ser substituída, dependendo de onde o dono do automóvel mora e onde ele quer registrar a documentação.

Por isso, a informação que aparece na tarjeta não é a mais confiável para descobrir a origem de um veículo. O que vai garantir esse dado realmente são as letras.

Cada estado possui a sua combinação, que ainda fica subdivida pelas cidades. No Paraná, por exemplo, as séries vão de AAA até BEZ. Em Minas Gerais, isso vai de GKJ a HOK. Já São Paulo, BFA a GKI.

Alguns estados determinam que certas séries são proibidas. Isso pode acontecer quando elas formam palavras que podem gerar constrangimento para alguém, como CUS e CKH, que não podem ser utilizadas em São Paulo.

História das cores

É bem possível que você já tenha visto uma placa preta ou verde desfilando pelas ruas. Elas também representam alguns códigos avaliados pelas autoridades de trânsito. Aprenda mais:

  • Cinza: veículos particulares;
  • Branca: veículos oficiais;
  • Vermelha: táxis, ônibus e caminhões;
  • Azul: veículos em teste pelas montadoras. Se a placa tiver as letras CC, quer dizer que são de consulados;
  • Verde: carros em test drive e pertencentes a oficinas ou lojas;
  • Verde e amarelo: veículos de autoridades federais dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário;
  • Preta: automóveis antigos, de colecionador e com características originais.

Personalização

É possível estilizar uma BMW ou um Audi a partir da sua placa. Dá para solicitar uma série BMW-1984, por exemplo, ou um AUD-2014.

Mesmo os números podem ser escolhidos de acordo com sua vontade e pode ser a data de nascimento de alguém ou o ano do veículo. Tudo depende, claro, do seu desejo já não ter sido utilizado em outro modelo.

Também é preciso pagar uma taxa extra ao Detran. Os valores variam de R$ 30 a R$ 400. Lembrando que o pedido só pode ser feito para aqueles veículos 0 Km.

Segurança na hora da compra

Quem pretende adquirir um usado, precisa se atentar muito à placa, porque é com os dados contidos nela que você vai conseguir obter quase que um histórico completo de tudo o que aconteceu com o modelo em questão.

Existem sites especializados que permitem conferir se o carro já foi sinistrado, leiloado, roubado ou mesmo se o documento está atrasado. No Detran também dá para conseguir algumas informações, desde que você informe a placa. Aproveite o seu conhecimento para fazer bons negócios e escolher apenas veículos com bons históricos.

Quais são as placas que já encontrou por aí e que mais chamaram a sua atenção? Participe do assunto nos comentários!

Autor

O Carcheck é uma ferramenta que visa a segurança na negociação de veículos usados, permitindo ao consumidor analisar cuidadosamente vários indicadores de segurança além de toda a trajetória do veiculo desde o seu primeiro registro junto aos órgãos competentes(Detran, Denatran, Dnit, Financeiras e etc) até o dia da aquisição.

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *