Consulta de placa: o guia completo

Consulta de placa: o guia completo

Introdução

Na hora de escolher um carro, todo mundo se preocupa com a parte mecânica e com a lataria, mas se esquece de conferir um importante detalhe e que pode ajudar bastante: a placa.

Por meio dela, é possível rastrear informações muito importantes sobre o histórico do veículo, que podem fazer toda a diferença na hora de negociar e escolher o seu próximo carro. Consultar a placa antes de realizar a compra pode ser um importante aliado para você eliminar todas as dúvidas e tomar a decisão correta. Neste guia, você vai descobrir todas as informações que precisa sobre o sistema de emplacamento brasileiro e conhecer algumas importantes informações sobre o assunto.

Quer analisar todos os benefícios de consultar a placa de um veículo antes de fechar negócio e quais as melhores ferramentas para realizar esse procedimento? Vamos lá!

O emplacamento

O sistema de placas brasileiro é regulamentado pelo Registro Nacional de Veículos Automotores, o RENAVAM. É por meio dele que é possível saber se o carro já foi batido, quantos proprietários ele já possuiu na sua história e outras importantes informações, garantindo que você saiba se todas as exigências legais do seu veículo estão em dia. O número também permite que o DETRAN de todos os estados reúna as informações de cada veículo, mesmo que ele tenha sido transferido para outra região.

O sistema atual

Antes de 1990, o país utilizava um sistema diferente de emplacamento. As placas, até então, eram amarelas e possuíam duas letras e quatro números.

A partir de então, começaram a ser substituídas pelas placas com três letras e quatro números — além de cores diferentes para cada tipo de carro, com as placas prateadas utilizadas pelos carros de pessoas físicas. A numeração foi dividida pelos estados e pelo Distrito Federal, começando pelo Paraná, onde a mudança se iniciou.

Lá, as placas seguem de AAA-0001 até BEZ-9999. São Paulo, na época, deu continuidade ao padrão com o arranjo inicial BFA-0001 em diante, até que todos os veículos no país passassem a utilizar o padrão atual.

O novo modelo

Porém, o padrão vigente também está com os dias contados. Em uma nova resolução aprovada pelo Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN), as placas brasileiras passarão a adotar o padrão de outros países do MERCOSUL.

Com a mudança, que deve ocorrer a partir de 2017, as placas passarão a contar com 7 caracteres alfanuméricos — três números e quatro letras. Esse aumento permitirá que o Brasil conte com um número maior de combinações, além de contribuir para o aumento da segurança e o controle das organizações responsáveis nos diversos países sul-americanos.

As informações da placa

O formato, a numeração, a tarjeta e a cor da placa reúnem informações muito importantes sobre o veículo e a sua situação. A tarjeta, local que identifica a cidade e o estado, indica onde o veículo está registrado.

Essa é a única parte da placa do carro que pode ser trocada, permitindo que o dono do automóvel registre o carro no seu domicílio — o que facilita alguns procedimentos, como o pagamento do IPVA. Por outro lado, como é uma parte que pode ser facilmente substituída, a tarjeta é uma informação menos confiável na hora de analisar a procedência e a origem do veículo. Para essa informação, uma dica importante é ficar de olho nas letras.

Como explicado no item anterior, às séries utilizadas são exclusivas de cada estado e ajudam a determinar de onde o veículo é originalmente, já que cada automóvel pode ter apenas uma placa. Por meio dessas séries, é possível ter certeza que o veículo é mesmo do estado do Paraná, de Minas Gerais ou do Mato Grosso, por exemplo.

Uma cor para cada uso

Outro ponto importante para analisar a situação do veículo é a cor da placa. Por meio dela, é possível saber se o veículo é particular (placa cinza) ou oficial (placa branca), por exemplo.

Carros de transporte público, como táxis, ônibus e caminhões, possuem placas vermelhas. Já as placas verde e amarela marcam os veículos das autoridades federais dos três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário).

A cor verde também é utilizada nas placas de veículos que estão em test drive e pertencem a oficinas ou a lojas. Já os automóveis de placa azul, são os veículos em fase de teste pelas montadoras. Porém, caso possuam as letras CC no código, significa que são utilizados por consulados de países estrangeiros no Brasil.

Por fim, as placas pretas são utilizadas por automóveis antigos e de colecionadores, que mantiveram as suas características originais ao longo dos anos. Veículos ultrapassados que foram modificados perdem o direito a essa placa especial. Sistemas especializados como o CarChek permitem que você descubra todas essas informações sobre um automóvel!

Por que consultar a placa do veículo

Na hora de comprar um carro usado, você deve conferir vários detalhes para não pagar mais caro. Afinal, muitas vezes o veículo possui um valor abaixo do que a tabela de mercado registra, devido a batidas ou outros incidentes.

Por isso, consultar a placa do veículo o primeiro passo importante para conhecer o histórico do carro. Por meio dela, é possível saber se ele já esteve envolvido em algum acidente, quantos proprietários já possuíram o automóvel, se ele já foi leiloado, roubado ou se existem multas pendentes associadas ao veículo.

Consultar a placa de um carro é uma prática muito simples, com baixíssimo custo e que ajuda a evitar inúmeros problemas futuros. Com a utilização de uma ferramenta como a CarCheck, você consegue obter essas informações com facilidade, reduzindo as chances de fechar um negócio ruim.

Analisar as condições do automóvel, tanto da parte mecânica quanto da lataria, também é importante para saber o estado real do carro. Consultar um mecânico de confiança e seguir algumas dicas é fundamental para não cair em conversa fiada! A consulta de placa também é importante porque, com ela, é possível saber o ano e todos os detalhes do veículo, ajudando a analisar se o desgaste do carro escolhido é natural e efeito do tempo ou se é um descuido dos proprietários anteriores.

Como consultar a placa

Agora que você já sabe a importância de consultar a placa do veículo, vamos entender quais as melhores maneiras de fazer isso. Para começar, existem alguns bancos gratuitos que podem te ajudar nesse momento, como o SINESP Cidadão, um aplicativo que acessa as informações nacionais do Departamento Nacional de Trânsito — o DENATRAN.

Por meio dele, é possível saber se o veículo possui uma placa clonada ou algum histórico de furto ou roubo. Gratuito, possui versões para Android e iOS.

Porém, as informações fornecidas por essa ferramenta são mais restritas. Quem quer comprar um veículo usado, precisa se informar sobre todos os detalhes e sobre todo o histórico do automóvel.

Por isso, é importante utilizar uma ferramenta especializada para concluir essa ação com sucesso. Com um custo muito baixo de utilização, a Carcheck oferece informações completas para você ter certeza que está pagando o valor justo pelo veículo que está comprando.

Lembre-se: a consulta de placa vale para qualquer automóvel que você pretende comprar, seja ele carro, moto ou caminhão. Portanto, para fechar um bom negócio na hora da compra, consulte sempre o histórico do veículo.

Que informações a consulta de placa traz

A consulta de placas da CarCheck ajuda a trazer uma infinidade de informações para você conhecer todo o histórico do veículo que está comprando. No nosso exemplo, você pode notar que é possível visualizar os principais detalhes do carro, inclusive restrições e irregularidades. Para te ajudar a entender cada uma das informações que você pode descobrir, vamos analisar alguns dos principais itens que você precisa observar.

Restrição judicial: um problema que você pode evitar

Um dos mais importantes pontos é descobrir se o veículo possui alguma restrição judicial. O carro em questão pode ser alvo de alguma disputa familiar ou trabalhista, ser dívida de um proprietário antigo ou até ter sido utilizado como garantia em algum tipo de negociação.

Enquanto o processo não é finalizado, o veículo pode ser utilizado normalmente — mas seu valor está sempre atrelado ao processo, o que significa que qualquer dano, por menor que seja, pode se tornar um grande prejuízo. Além disso, caso o juiz decida pela apreensão do bem, você terá uma enorme dor de cabeça com o carro comprado. Para evitar maiores problemas, como precisar comprovar que não sabia de alguma ocorrência do carro na hora da compra, o que exige tempo e dinheiro, consulte sempre a situação do veículo e se ele possui restrições jurídicas.

Cuidado para não comprar e não levar

Alienação fiduciária. O termo, que assusta à primeira vista, merece um olhar especial na hora de comprar um veículo e se refere à determinada transferência de propriedade, com o objetivo de servir como garantia em um financiamento.

Então, o bem — no nosso caso, o veículo — não é de quem possui a posse, mas sim da instituição financeira ou bancária responsável por custear a aquisição. Assim, enquanto houver uma pendência, o veículo fica vinculado à empresa e não pode ser transferido.

Evite problemas e consulte, antes de realizar a compra, se o veículo possui algum tipo de restrição. No nosso texto sobre alienação fiduciária, você consegue entender mais e tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto.

Leilão: um bom negócio que pode se transformar em uma fria

Os veículos negociados em leilão também precisam de atenção. Uma prática cada dia mais comum, devido ao baixo preço de negociação, nem sempre é um bom investimento.

Apesar de muitos serem ótimos negócios, como veículos executivos de grandes empresas que renovam as frotas ou automóveis apreendidos por situações irregulares, o carro pode apresentar problemas que são desconhecidos do comprador. Por isso, consulte sempre o histórico do veículo pela sua placa.

Assim, você tem cuidado redobrado com o seu investimento. Saiba mais no nosso texto sobre o tema.

Outra vantagem importante de consultar o histórico de um veículo é descobrir se ele já sofreu ou não perda total. Com isso, você consegue evitar determinadas fraudes e não compra um carro que foi remontado com o objetivo de enganar alguém. Confira algumas dicas importantes para descobrir se um carro foi roubado ou não.

Conclusão

Você já aprendeu como é feito o emplacamento no Brasil e quais as diferenças entre as placas utilizadas por aqui, descobriu todas as vantagens de realizar a consulta antes de fechar um negócio e as melhores opções de serviços para realizar a busca. Agora, é hora de experimentar a melhor ferramenta do mercado: a CarCheck. Visite o nosso site, faça o seu cadastro e aproveite todos os recursos que a ferramenta tem para oferecer.

Quer descobrir todo o histórico do veículo que você está de olho e ficar muito mais seguro na hora de fechar um negócio? Clique aqui e comece já!

Autor

O Carcheck é uma ferramenta que visa a segurança na negociação de veículos usados, permitindo ao consumidor analisar cuidadosamente vários indicadores de segurança além de toda a trajetória do veiculo desde o seu primeiro registro junto aos órgãos competentes(Detran, Denatran, Dnit, Financeiras e etc) até o dia da aquisição.

3 comentários

  • MORO NA BAHIA E ESTOU COMPRANDO UM TRIKE (TRICICLO) E GOSTARIA DE SABER SE EXISTE ALGUMA RESTRIÇÃO DO MESMO, RENAVAN Nº 01111533528 , MARCA E MODELO: ATMA/FALCON 01, PLACA: PPS6240, ANO E MODELO: 2017/2017, MOTOR: UDD004984, CAP/POT/CIL: 2P/88CV/1800CC; COR: PRETA

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *