Comprando um carro usado: como não ser enganado?

Comprando um carro usado: como não ser enganado?

Está pensando em comprar um carro usado e morre de medo de ser enganado? Pois é, não há nada pior do que fechar um negócio e descobrir que o veículo apresenta alguns “probleminhas”. Essa situação, por incrível que pareça, é muito mais comum do que imaginamos. No entanto, se você tomar alguns cuidados básicos antes da compra, ela pode ser evitada.

Sendo assim, selecionamos algumas dicas preciosas que devem ser seguidas por quem estiver comprando um carro usado. Confira!

Teste o carro usado

Muitas lojas que revendem carros usados concordam com a realização de um test drive mais demorado. Algumas até permitem que o interessado fique com o automóvel para testar por alguns dias antes de concluir o negócio. Dessa forma, podemos confiar!

No entanto, ainda existem aqueles que costumam evitar que o interessado prolongue o teste, pois sabem que, em um teste maior, o veículo pode apresentar alguns problemas preexistentes que podem dificultar a venda.

Por isso, é essencial que você percorra alguns quilômetros com o carro para testá-lo e que observe qualquer sinal que possa apontar para determinado problema.

Leve o veículo para ser avaliado por um mecânico

O vendedor que tem algo a esconder certamente não gostará de uma inspeção rápida realizada por um mecânico. No entanto, se você pretende fechar um negócio sem arrependimentos futuros, não abra mão desse cuidado.

Nada melhor do que um par de olhos e ouvidos experientes para apontar prováveis problemas com o carro. O mecânico vai testá-lo e ouvir seus ruídos e, dessa forma, diagnosticar algumas falhas mais comuns na mecânica e parte elétrica do veículo.

Fique atento às armadilhas

Carros usados podem demonstrar, em alguns componentes, as marcas do tempo. Portanto, é de extrema importância que você observe alguns detalhes. O estado dos pedais, em especial o da embreagem, pode lhe dar uma noção do quanto o carro já foi usado, muito mais até do que aponta o velocímetro.

Outros detalhes, como estofados gastos e volante desgastados, podem também indicar o excesso de uso do automóvel. Fique ligado a esses sinais!

Identifique se o carro passou por enchente

Você já parou para pensar que muitos carros são danificados pelas várias enchentes que ocorrem anualmente? Só que muitos deles vão para a oficina, são recuperados e o pior: postos à venda.

Para evitar comprar um carro usado que já ficou alagado fique atento a alguns sinais. Um deles é o cheiro, que em muitos casos nem é percebido, porque são utilizados sachês para disfarçá-lo.

O barro é outro sinal, ele se deposita nas frestas de lugares não muito expostos e, mesmo com muita higienização, ainda é possível ser observado. Bancos e carpetes também podem indicar, pelo seu estado, que passaram por enchente ou enxurrada.

Verifique se o veículo não sofreu colisão grave

Acidentes graves, muitas vezes, podem provocar danos que desvalorizam – e muito – o automóvel. Porém, na maioria dos casos, essas avarias são “maquiadas” e o comprador só percebe depois que já comprou o carro.

Sendo assim, ao comprar seu carro usado, faça uma vistoria na pintura do veículo limpo e seco, de preferência durante o dia, para visualizar melhor. Pequenas diferenças na pintura, como ondulações, amassados e assimetria das portas, para-choque e teto podem apontar colisões no passado. Fique atento!

Para sua informação: de acordo com o Código de Defesa do Consumidor, para veículos comprados de uma loja, o prazo para reclamação de vícios em geral ― e não somente referente a problemas diagnosticados no motor e no câmbio ― é de 90 dias. Quando comprado de particulares, exige-se a contratação de um advogado e a abertura de um processo.

Se você gostou das dicas de como não errar na compra de seu carro usado, assine nossa newsletter e receba mais conteúdos relevantes como este!

 

Autor

O Carcheck é uma ferramenta que visa a segurança na negociação de veículos usados, permitindo ao consumidor analisar cuidadosamente vários indicadores de segurança além de toda a trajetória do veiculo desde o seu primeiro registro junto aos órgãos competentes(Detran, Denatran, Dnit, Financeiras e etc) até o dia da aquisição.

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *