Recauchutagem de pneus: perigos que ela pode oferecer

Recauchutagem de pneus: perigos que ela pode oferecer

Sendo a troca dos pneus um dos principais gastos referentes à manutenção de um carro, muitos motoristas sujeitam-se a correr sérios riscos em busca da economia que, no fim das contas, pode ser um verdadeiro tiro no pé. Apesar das vantagens em casos específicos, a recauchutagem de pneus é um risco quando realizada de maneira incorreta.

Quanto a você: sabe como verificar se um local oferece um serviço de qualidade nesse sentido? É o que mostraremos neste post! Para começar, que tal você aprender um pouco mais sobre a recauchutagem de pneus? Siga conosco!

Descubra o que é recauchutagem de pneus

A recauchutagem utiliza a carcaça de um pneu em bom estado para recuperá-lo antes de uma troca definitiva por um novo.

Para isso, as bandas de rodagem e a carcaça são cobertas com uma camada de “camelback” (borracha não vulcanizada). Depois, o pneu é colocado em um molde e aquecido a 150 Cº, obtendo uma nova forma, pronta para rodar.

Trata-se da substituição da borracha desgastada da banda de rodagem, aumentando a vida útil do pneu. 

No entanto, quando realizada de maneira incorreta, a recauchutagem de pneus pode ser um grande risco aos motoristas e passageiros, como veremos a seguir:

Conheça os riscos da recauchutagem

O principal risco da recauchutagem de pneus é quando a empresa contratada para o serviço utiliza uma carcaça em mau estado para inserir uma nova borracha.

Entre os indícios da má qualidade, podemos citar bolhas, ondulações e bandagem solta, pontos que influenciam negativamente na segurança.

Para evidenciarmos ainda mais a situação para quem busca serviços nada confiáveis, apresentamos agora mais três riscos que poderão acontecer caso a recauchutagem seja feita por quem não conhece do assunto.

  1. Aumento do risco de acidentes 

Pneus recauchutados erroneamente podem sofrer possíveis explosões, quando utilizados por um longo período de tempo, como em uma viagem.

Com isso, o risco de acidentes nas rodovias aumenta consideravelmente. É muito comum, em viagens, observar pedaços de pneus soltos nos acostamentos. Saiba que a maior parte deles era recauchutada.

Dessa forma, você poderá comprar gato por lebre, ou seja, o que deveria ser uma economia poderá transformar-se em dor de cabeça.

  1. Menor durabilidade 

Em comparação aos pneus novos, os recauchutados têm uma durabilidade bem menor: 50% do tempo de uso. Ou seja, enquanto um pneu novo roda, em média, 60 mil Km, um recauchutado terá que ser substituído quando atingir a metade desta quilometragem.

Por isso, a dica é você colocar na ponta do lápis se vale a pena ou não realizar essa opção quando seus pneus estiverem desgastados, tendo em vista que os recauchutados custam cerca de 30% a menos do que um novo.

  1. Campo aberto para más intenções

Como a utilização de uma carcaça em bom estado depende do olhar do profissional, muitas empresas mal-intencionadas podem te enganar, caso você não conheça do assunto.

Portanto, a dica é sempre procurar por serviços especializados, com anos de estrada e credibilidade no mercado. Caso contrário, pense na sua segurança e da sua família, optando pelos pneus novos.

E aí, gostou do nosso post? Quer sempre ficar por dentro do mundo automotivo? Então, curta agora mesmo a nossa página no Facebook!

Autor

O Carcheck proporciona uma negociação mais segura na compra do veículo usado. Antes de fechar negócio, é possível analisar indicadores de segurança, informações de seguradoras, além das condições atuais e rodagem junto aos órgãos competentes. Com a consulta, você também se previne de problemas como débitos em financiamentos, além de eventuais irregularidades que possam existir no veículo consultado.

Posts Relacionados

Nenhum post foi encontrado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *