Qual a diferença entre DUT e CRV?

Qual a diferença entre DUT e CRV?

Apesar dos nomes serem diferenciados, há duas siglas que remetem aos documentos dos carros que têm funções iguais. Tratam-se do DUT (Documento Único de Transferência) e CRV (Certificado de Registro de Veículos). Ambas as nomenclaturas são utilizadas quando alguém compra ou vende um veículo, sendo um recibo da transação de transferência.

Até 1985 existia apenas o termo DUT, mas com a implantação do sistema Renavam naquela época, houve a mudança para CRV. Mas muitos motoristas ainda têm o hábito de falar como ficou registrado na memória.

Entretanto, muita gente comete erros no preenchimento, o que acaba ocasionando problemas junto ao Detran (Departamento Estadual de Trânsito). E foi justamente pensando em solucionar algumas dúvidas que decidimos escrever este post com quatro dicas para você não errar na hora de lidar com o DUT ou CRV!

  1. Guarde o documento em casa  

Tanto o DUT quanto o CRV jamais serão solicitados em operações de trânsito. Como no documento constam informações privilegiadas, entre elas o número do chassi, Renavam, nome, CPF e endereço do proprietário, a orientação é guardá-lo bem.

Afinal, além de evitar possíveis adulterações, você manterá uma organização para localizar rapidamente o documento quando for necessário.

  1. Não confunda com CRLV 

Ao contrário das duas siglas citadas acima, o CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo) se diferencia pelo fato de ser emitido anualmente.

Já o CRV dura toda a vida útil do automóvel, independente da data de emissão. O CRLV é um comprovante de que o carro está devidamente licenciado.

  1. Seja cauteloso(a) 

O CRV ou DUT devem ser preenchidos com muito cuidado para evitar rasuras com os dados do novo proprietário no momento da venda de um veículo. O espaço para inserir os dados fica na parte de trás do documento.

Caso isso não ocorra, o antigo proprietário poderá receber multas ou até mesmo ter o nome envolvido em situações adversas, como acidentes.

Fique atento ao preencher a data em que o documento foi transferido. Além disso, é preciso providenciar reconhecimento de firma em Cartório para atestar a transação, além da correta assinatura do vendedor.

No documento, devem constar o valor da venda do carro, nome completo do comprador, números de RG e CPF, endereço, local, data, e, claro, a assinatura tanto de quem vendeu quanto da pessoa que está adquirindo o veículo.

Após fazer uma cópia autenticada do documento, o novo proprietário deve levar o CRV ao Detran do seu Estado para finalizar o procedimento.

E o não cumprimento desse procedimento em um prazo de 30 dias pode acarretar em multa de R$ 127,96, considerada infração grave, o que ainda gera cinco pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

  1. Tenha prudência na transferência 

No momento em que você for fazer a transferência do carro, lembre-se de pedir uma segunda via do DUT ou CRV, o que pode ser solicitado no Detran.

Além da cópia autenticada, haverá a necessidade de apresentar os documentos originais RG, CPF, CNH e comprovante de residência.

Além disso, o decalque do chassi e motor, vistoria e declaração de extravio também serão pedidos. O procedimento é o mesmo no caso de motos.

CRV e DUT  

Apesar das várias exigências, vale a pena seguir as orientações para não ter possíveis problemas em razão de falhas no preenchimento do CRV ou DUT.

Portanto, sempre que você comprar ou vender um carro, lembre-se de fazer o mais rápido possível a transferência do documento, pois muita gente ainda tem dores de cabeça por conta de falhas nesse procedimento.

Agora que você ficou por dentro do preenchimento do CRV ou DUT, que tal compartilhar as informações em suas redes sociais? Propague a informação com seus amigos e familiares!

 

Autor

O Carcheck é uma ferramenta que visa a segurança na negociação de veículos usados, permitindo ao consumidor analisar cuidadosamente vários indicadores de segurança além de toda a trajetória do veiculo desde o seu primeiro registro junto aos órgãos competentes(Detran, Denatran, Dnit, Financeiras e etc) até o dia da aquisição.

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *