Precisamos conversar sobre seu carro parado na garagem

Precisamos conversar sobre seu carro parado na garagem

Você sabia que deixar seu carro parado na garagem pode lhe trazer prejuízos? Essa é a verdade. Apesar de ser algo inevitável em alguns casos — como por motivo de viagem, transferência de trabalho, entre outras —, essa situação merece bastante atenção.

De fato, alguns itens do carro não devem ficar sem uso por um longo período, visto que podem se deteriorar com o tempo e provocar danos ao veículo. Sendo assim, vamos relacionar alguns componentes que devem ser observados por você ou por quem possa lhe auxiliar nesse período.

Veja a seguir como cuidar de um veículo que fica muito tempo sem rodar!

Pneus

Os pneus do carro merecem muita atenção. Isso porque é normal que estas peças fiquem deformadas em carros que permanecem parados na garagem por muito tempo.

Basicamente, os pneus são compostos por borracha e por uma cinta de metal que dá maior sustentação e evita a deformação. No caso de um pneu murcho, a cinta pode ser danificada e ele perde a forma.

Assim, é aconselhável fazer uma calibragem acima da pressão recomendada pela marca, pois, desse modo, os pneus serão preservados na sua forma original. Uma outra alternativa de conservação é o uso de cavaletes pra levantar o veículo.

Bateria

A bateria é um componente que logo apresenta problemas por ficar muito tempo parada. Um mês já é um período suficiente para que as complicações surjam, principalmente se o veículo ficar exposto ao calor e à umidade.

Nestas condições, se a bateria não estiver com a carga máxima, pode ocorrer de descarregar totalmente. Para evitar que isso aconteça, a recomendação é desligar os cabos da bateria caso o carro vá ficar muito tempo sem uso.

Óleo

Óleo parado por muito tempo acaba ficando velho e perde suas características lubrificantes. Por isso, o recomendado, ao saber que seu carro ficará parado, é trocar o óleo do motor, bem como o fluído do freio e o filtro. Outro cuidado a ser adotado é verificar se a tampa do reservatório está bem vedada para não penetrar qualquer umidade.

Se o tempo que o carro vai permanecer parado é muito longo (cerca de um ano), o aconselhável é trocá-lo por um óleo sem aditivo. Após esse tempo, quando voltar a usá-lo, a dica é trocar o óleo novamente.

Combustível

O combustível tem seu prazo de validade e deve ser respeitado. Por isso, ele não deve ficar por muito tempo no interior do carro sem uso. Combustível parado por mais de um mês começa a apresentar impurezas que podem entupir o filtro e causar danos à boia de combustível e aos bicos injetores.

Para o carro que ficará na garagem por um longo período, a dica é retirar toda a gasolina de seu veículo ou trocar por um tipo aditivado que possui durabilidade maior. Dessa forma, você preservará alguns itens do carro.

Escapamento

O combustível contém um líquido, seja gasolina ou álcool. Sendo assim, carro parado na garagem acaba acumulando água no sistema de escape, podendo provocar corrosão em seus componentes, como no abafador, no silencioso e no catalisador — o que poderá resultar em um buraco no seu sistema de escapamento.

Ar-condicionado

Quando o ar-condicionado está em funcionamento, ele resfria o ambiente do veículo fazendo com que os dutos de ventilação interna fiquem úmidos — o que torna o meio favorável para a criação de fungos e bactérias.

Aquele cheiro de mofo pelo carro por ter ficado muito tempo parado é devido a essa umidade que também é causadora de doenças respiratórias e que muitos não dão a devida importância. Para conter esse tipo de situação, uma boa solução é ligar o ar quente sempre após chegar com o automóvel em casa para eliminar a umidade.

E aí, gostou de nosso artigo sobre os riscos que corremos quando deixamos o carro parado na garagem? Você teria uma outra observação a fazer sobre essa prática bem comum? Então, se tiver algo a acrescentar, deixe um comentário e compartilhe com a gente e com os demais leitores do blog!

 

Autor

O Carcheck é uma ferramenta que visa a segurança na negociação de veículos usados, permitindo ao consumidor analisar cuidadosamente vários indicadores de segurança além de toda a trajetória do veiculo desde o seu primeiro registro junto aos órgãos competentes(Detran, Denatran, Dnit, Financeiras e etc) até o dia da aquisição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *