Modificações no veículo: o que é permitido por lei?

Modificações no veículo: o que é permitido por lei?

A cada ano aumenta o número de interessados em colocar em prática os planos de modificações no veículo. Deixar o carro mais bonito ou potente o valoriza e chama muita atenção. Entretanto, é preciso ficar atento para não acabar transformando um sonho em uma dor de cabeça. E é aqui que entram em cena o DETRAN e CONATRAN.

Antes de realizar qualquer tipo de alteração no carro, o proprietário precisa estar plenamente consciente do que pode ou não fazer. Prestar atenção em alguns pontos vai evitar multas no futuro e até a apreensão do veículo.

Neste post, nós vamos esclarecer o que você pode ou não alterar em seu veículo, para ficar tranquilo e curtir seu projeto sem complicações. Vamos lá!

Modificações no veículo, o que é isso?

As modificações dizem respeito a qualquer tipo de alteração na estrutura, nos componentes, na carroceria ou no motor. É importante deixar claro que as alterações precisam constar no documento do veículo.

A seguir, elencamos cinco dos principais pontos que precisam ser observados conforme dispõe a lei brasileira. Confira:

  1. Faróis de xênon

A instalação de faróis de xênon provoca algumas dúvidas nos motoristas. Em primeiro lugar, a lei brasileira tem restrições para seu uso, mais especificamente se eles forem adicionados após a fabricação do carro.

O CONATRAN dispõe que os carros que saíram da fábrica com esse item poderão continuar a rodar sem nenhum tipo de problema. O proibido é o proprietário colocar em um momento posterior. A multa, neste caso, pode chegar a R$127,69 além de render 5 pontos a menos na carteira.

  1. Rodas e pneus

Ao fazer alterações nas rodas e nos pneus, o proprietário do veículo precisa ficar atento com a suspensão do carro, uma vez que não é permitido que seu rebaixamento seja feito. Por outro lado, é possível fazer algumas modificações nos amortecedores de modelos fixos. Entretanto, ainda assim, o INMETRO precisará avaliar e aprovar da mesma forma que o DETRAN.

Neste caso, a suspensão deve ficar no mínimo 10 cm distante do solo em seu ponto mais baixo.

As rodas e os pneus não podem apresentar dimensões superiores, em termos de diâmetro, em relação ao conjunto original. Caso isto não seja respeitado, os pneus podem entrar em contato com o para-lama, fazendo com que o veículo perca o controle.

  1. Motor

A regra para o motor é semelhante a que vimos no item anterior. A potência somente poderá ser modificada em 10%. O motivo para isto é mais simples do que se imagina: toda a estrutura do veículo foi desenvolvida para suportar um limite de velocidade. Não respeitar isto pode colocar a segurança em risco.

  1. Sistemas de som e DVD

Os componentes e mídias digitais estão entre as principais modificações feitas nos veículos. Apesar de muitos curtirem um som alto, a lei dispõe que o volume não poderá perturbar o sossego público.

Na resolução nº 624/2016 do CONTRAN, não é mais estabelecido um limite de decibéis. Se um agente de trânsito ou policial verificar que o som é audível pelo lado externo e que ele está perturbando o sossego público, poderá multar. Trata-se de uma infração grave, de 5 pontos na carteira e multa de R$195,13.

  1. Vidros

As modificações nos vidros ficam por conta das películas escuras. O uso delas também é regulamentado pelo CONATRAN. Via de regra, são permitidos os seguintes graus:

  • Para-brisa com no máximo 75% de escurecimento;
  • Vidros laterais dianteiros com no máximo 70%;
  • Vidros laterais traseiros com no máximo 50%;
  • Vidro traseiro com no máximo 28%.

Além de conferir se as modificaçãos que pretende fazer é autorizada pelo CONATRAN, o proprietário do carro ainda tem alguns pontos burocráticos que precisarão ser resolvidos posteriormente.

É necessário pedir uma autorização para o DETRAN para poder levar o carro para uma inspeção veicular em qualquer Instituição Técnica Licenciada (ITL). Depois, você deverá levar o CSV recebido da ITL até o DETRAN.

No mais, a dica é ficar por dentro das regras e leis do trânsito brasileiro. Além do prazer de ter um carro completamente personalizado, é preciso atentar para a segurança de todos.

E você, o que acha das modificações no veículo? Já fez alguma? Compartilhe conosco e com nossos leitores suas considerações sobre o assunto.

Autor

O Carcheck proporciona uma negociação mais segura na compra do veículo usado. Antes de fechar negócio, é possível analisar indicadores de segurança, informações de seguradoras, além das condições atuais e rodagem junto aos órgãos competentes. Com a consulta, você também se previne de problemas como débitos em financiamentos, além de eventuais irregularidades que possam existir no veículo consultado.

Posts Relacionados

Nenhum post foi encontrado.

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *