Medo de dirigir: O que fazer para superar isso?

Medo de dirigir: O que fazer para superar isso?

O Brasil conta hoje com mais de 56 milhões de motoristas. Com o aumento da frota e tanta gente dirigindo por aí, um problema tem se tornado cada vez mais comum: a amaxofobia. Para quem não sabe, esta palavra estranha nada mais é do que uma doença relacionada com o medo de dirigir e, em alguns casos, de andar em qualquer veículo.

Neste post falaremos sobre o medo de dirigir e como enfrentá-lo. Acompanhe!

Causas do medo de dirigir

O medo de dirigir surge devido a uma combinação entre fatores pessoais e externos. Os traumas podem iniciar com eventos como acidentes de trânsito, cobrança de outras pessoas quanto à maneira de dirigir, brigas de trânsito, ou até mesmo a falta de interesse ou de paciência do instrutor quando a pessoa está aprendendo a dirigir, o que pode diminuir sua confiança.

Características pessoais como sentimentos de raiva ou vergonha, ansiedade, nervosismo e insegurança, associadas com os eventos ocorridos, podem desencadear o medo de dirigir em maior ou menor grau. E o problema pode ocorrer a qualquer momento, mesmo em motoristas experientes.

Sintomas

Os principais sintomas de quem tem medo de dirigir são:

  • Dor de cabeça;
  • Ansiedade;
  • Boca seca;
  • Ânsia;
  • Taquicardia;
  • Sudorese;
  • Tremores;
  • Vontade de urinar;
  • Formigamento nas mãos, nos pés ou nas pernas.

Caso a pessoa apresente cinco ou mais desses sintomas, ao dirigir ou mesmo pelo simples fato de considerar fazê-lo, é imprescindível buscar ajuda profissional.

Tratamento

O medo de dirigir pode ser tratado de várias maneiras, dependendo da gravidade do problema. Em muitas vezes, o simples ato de praticar será o suficiente para que a pessoa recupere a confiança e perca o medo. Nos casos mais graves, poderá ser necessário um acompanhamento psicológico.

Buscando atender a essa demanda, vários centros de formação de condutores tem se especializado no treinamento de pessoas já habilitadas, que pretendem perder o medo de dirigir. Geralmente, estas empresas oferecem instrutores preparados para lidar com esse público, além de acompanhamento psicológico.

Dicas para superar o medo de dirigir

Neuza Corassa é uma psicóloga especialista no tratamento de fobias. Em 2000 ela publicou um livro chamado Vença o Medo de Dirigir, que dá diversas dicas para superar o problema.

Abaixo, destacamos algumas práticas eficientes:

  • Para as pessoas ansiosas, é muito importante trabalhar a respiração, inspirando lentamente pelo nariz e expirando pela boca.
  • Tenha consciência de que alguns dos sintomas da ansiedade como tremores, transpiração e taquicardia podem ocorrer, e prepare-se para isso. Com o tempo, eles diminuirão.
  • Fazer exercícios físicos ou relaxamento muscular ajuda a produzir endorfina, capaz de regular a noradrenalina, que é um hormônio ligado à ansiedade.
  • Faça exercícios de aproximação com o carro parado na garagem. Tome conhecimento dos diversos botões e comandos. Ajuste o banco e os retrovisores. Ligue o carro e, quando se sentir confortável, faça pequenas manobras, como avançar e recuar o carro algumas vezes.
  • Aproveite horários sem movimento para dar voltas no quarteirão ou em ruas tranquilas. Bairros industriais podem ser boas opções nos finais de semana.
  • Tenha o compromisso de praticar, pelo menos duas vezes por semana, a direção. O hábito permitirá que a pessoa ganhe confiança.
  • Com o ganho de confiança, comece a fazer trajetos maiores ou que apresentem obstáculos, como subidas e ou trânsito mais intenso.

É inegável que, nos tempos atuais, os carros são ferramentas de grande utilidade, principalmente para as pessoas que vivem e trabalham nos centros urbanos. Ao saber que existem formas eficientes para superar o medo de dirigir, as pessoas podem investir no tratamento para conduzir com segurança, aumentando a qualidade de vida.

E você, já sentiu ou sente medo de dirigir? Não esqueça de deixar o seu comentário abaixo!

 

Autor

O Carcheck é uma ferramenta que visa a segurança na negociação de veículos usados, permitindo ao consumidor analisar cuidadosamente vários indicadores de segurança além de toda a trajetória do veiculo desde o seu primeiro registro junto aos órgãos competentes(Detran, Denatran, Dnit, Financeiras e etc) até o dia da aquisição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *