Guia: Como usar corretamente os faróis

Guia: Como usar corretamente os faróis

Faz parte da direção segura e responsável usar corretamente os faróis do seu veículo. Além de prevenir acidentes, evita-se a multa por alguma irregularidade, os pontos na CNH e, pior, ter o carro apreendido!

Este guia vai ensiná-lo a não cometer falhas e andar em segurança pelas ruas e rodovias.

Ligado no uso correto dos faróis

O farol é item fundamental na segurança do motorista e seu uso é regulado pelo CTB (Código de Trânsito Brasileiro). Veja nos tópicos o que deve o que pode e o que não pode ser feito com relação a eles:

Deve

  • Ligar a luz baixa à noite;
  • Ligar a luz baixa ao atravessar túneis, mesmo que estes sejam iluminados e seja durante o dia;
  • Luz alta só pode ser acionada em lugares sem iluminação pública;
  • Desligar a luz alta em favor à luz baixa quando se cruza com outro veículo ou se está seguindo alguém;
  • Usar lanterna em caso de chuva ou neblina, durante o dia;
  • Acionar a lanterna quando o carro está parado e há embarque/desembarque de passageiros ou carga/descarga de produtos.
  • Usar luz baixa em rodovias durante o dia. Essa ação é apenas uma recomendação do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) e serve para contribuir com a visualização dos carros pelos outros motoristas;
  • Piscar os faróis é permitido para alertar outros motoristas sobre perigo na rodovia ou pedindo espaço para ultrapassagem. O recomendado é bom senso e moderação;
  • Um carro pode ter dois ou quatro faróis altos, mas só pode ter dois faróis baixos. Quatro faróis baixos é proibido;
  • Quando o farol alto está aceso, o farol baixo pode também estar ligado;
  • O uso do farol baixo no caso de chuva ou neblina durante o dia é aceitável pela legislação.
  • A lanterna não pode substituir o farol baixo. Por isso, nada de ficar com lanterna ligada durante à noite, pois pode render multa;
  • O farol do veículo não pode exceder essas especificações com relação à luminosidade, de acordo com o CTB: 225.000 cd para farol alto; 340.000 cd para farol auxiliar. O termo “cd” vem de candela, do latim que significa vela;
  • O uso de luzes de xenônio é restrito a carros que saem de fábrica com esse acessório ou que conseguiram autorização para a instalação concedida pelo Detran (Departamento Estadual de Trânsito). A regra para este segundo caso é a não permissão da troca do kit, caso as luzes estraguem.

Pode ser feito

  • Usar luz baixa em rodovias durante o dia. Essa ação é apenas uma recomendação do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) e serve para contribuir com a visualização dos carros pelos outros motoristas;
  • Piscar os faróis é permitido para alertar outros motoristas sobre perigo na rodovia ou pedindo espaço para ultrapassagem. O recomendado é bom senso e moderação;
  • Um carro pode ter dois ou quatro faróis altos, mas só pode ter dois faróis baixos. Quatro faróis baixos é proibido;
  • Quando o farol alto está aceso, o farol baixo pode também estar ligado;
  • O uso do farol baixo no caso de chuva ou neblina durante o dia é aceitável pela legislação.

Não pode

  • A lanterna não pode substituir o farol baixo. Por isso, nada de ficar com lanterna ligada durante à noite, pois pode render multa;
  • O farol do veículo não pode exceder essas especificações com relação à luminosidade, de acordo com o CTB: 225.000 cd para farol alto; 340.000 cd para farol auxiliar. O termo “cd” vem de candela, do latim que significa vela;
  • O uso de luzes de xenônio é restrito a carros que saem de fábrica com esse acessório ou que conseguiram autorização para a instalação concedida pelo Detran (Departamento Estadual de Trânsito). A regra para este segundo caso é a não permissão da troca do kit, caso as luzes estraguem.

Qual é a regra para os faróis auxiliares?

Além da lista do que pode e não pode com relação às luzes de um carro, é bom entender também o diz a lei sobre os faróis auxiliares.

Quando se tem o farol de milha, ele deve estar ligado em conjunto com a luz alta. Isso porque ele é considerado como de alta potência. Se for o caso de tê-lo instalado no santo-antônio ou no teto de uma picape, não há problema desde que ele seja acionado com a luz alta.

Se o automóvel utiliza um farol de neblina, ele deve ser acionado junto com o farol baixo. Como é uma luz de baixa intensidade, não há problema. Além disso, ele deve estar posicionado no máximo a 80 cm de altura do chão e iluminar as laterais da pista. A regra sobre a altura existe porque a neblina costuma se formar a, no mínimo, 30 cm do solo.

Como ficam as setas e o pisca-alerta?

Vai mudar de faixa na rua ou na rodovia ou virar em uma esquina? O uso da seta é obrigatório. E se você chegou ao fim de uma rua e só existe um lado para seguir, mesmo assim é necessário o uso da seta.

O pisca-alerta só deve ser ligado quando você estiver parado. Ligá-lo sob neblina ou chuva enquanto estiver em movimento não é o recomendado porque confunde os outros motoristas e ao invés de ajudar, vai atrapalhar o trânsito.

Luzes que requerem atenção

Nem sempre você presta atenção, mas a luz que ilumina sua placa faz parte de determinação do CTB. O sistema de iluminação obrigatório consiste em: iluminação para a placa traseira, ao menos uma luz de ré, dois retro-refletores (olhos de gato) vermelhos e uma luz de freio, além da lanterna, farol baixo e alto.

Quem quer ter mais segurança em caso de neblina e evitar colisão traseira, pode instalar uma luz de neblina na parte de trás do carro. A recomendação é ligar essa luz apenas com neblina forte, porque a potência desse farol de neblina é grande, semelhante a luz de freio traseira.

Fique atento porque a cor das luzes conta também. Os faróis, a luz de ré e a da placa deve ser branca. As setas precisam ser âmbar (tom entre amarelo e laranja). Já os faróis de neblina podem ser brancos ou amarelos.

As penalidades por infringir a lei

Quem estiver com luz de xenônio irregular pode ser multado em R$ 127,69 e ainda perde 5 pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação) e pode ter o veículo apreendido.

Se você não acende as lanternas ou o farol baixo nas situações descritas acima, a multa é de R$ 85,13 e 4 pontos na habilitação. O pisca-alerta ligado com o carro em movimento dá prejuízo no bolso de R$ 85,13 e também quatro pontos na CNH.

Sabe aquela luz da placa? Se houver algo errado, ela pode te dar multa de R$ 85,13 e 4 pontos na sua carteira.

Com todas essas dicas, você vai dirigir por aí como muito mais tranquilidade! Já levou uma multa ou passou por experiências ruins com relação à luz do seu veículo? Compartilhe suas experiências nos comentários.

Autor

O Carcheck é uma ferramenta que visa a segurança na negociação de veículos usados, permitindo ao consumidor analisar cuidadosamente vários indicadores de segurança além de toda a trajetória do veiculo desde o seu primeiro registro junto aos órgãos competentes(Detran, Denatran, Dnit, Financeiras e etc) até o dia da aquisição.

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *