Guia básico sobre suspensão de veículos

Guia básico sobre suspensão de veículos

A suspensão de veículos foi criada para dar estabilidade, ou seja, ela tem o objetivo de minimizar os impactos durante as viagens, manter as quatro rodas no chão e auxiliar em seu desempenho. Tudo isso é possível graças às peças que compõem o sistema: amortecedores, molas, braço oscilante, barra estabilizadora e pivô de suspensão.

Conheça, neste post, quais são os tipos mais comuns de suspensão e saiba como mantê-la funcionando da melhor forma possível. Boa leitura!

Quais são os tipos mais comuns de suspensão de veículos?


Barra de torção

É composta por um material flexível que ameniza as irregularidades com sua própria resistência elástica, eliminando o uso de amortecedores e molas.

As vantagens desse tipo de suspensão são a robustez mecânica e a baixa incidência de manutenção. Porém, o conforto e a estabilidade podem ser insatisfatórios devido ao baixo nível de amortecimento.

Sistema Independente

Como o próprio nome diz, a suspensão independente permite que as rodas se movimentem individualmente, o que é essencial para lidar com buracos e desníveis nas estradas. O sistema é estável, leve e oferece uma direção agradável.

Suspensão MacPherson

É um sistema patenteado pelo americano Earl S. MacPherson. Pesa pouco — por ter menos peças — em relação aos demais modelos e absorve vibrações com eficiência. É composto por um amortecedor, um braço e uma mola. A parte superior suporta a carroceria e a inferior é suportada pelo triângulo.

Triângulo duplo

Um sistema que sustém as rodas em dois braços. Esses braços têm, geralmente, o formato de um “V”, daí o nome de triângulo. Eles funcionam como moderadores de alinhamento, posicionando o veículo com mais facilidade durante a aceleração. Esse tipo conta com uma estrutura complexa e possui muitos componentes, além de ocupar um espaço considerável.

Multilink

É um sistema de triângulos duplos 2.0, pois utiliza entre 3 e 5 braços para manter-se no eixo, ao contrário de apenas dois braços. O Multilink é muito utilizado na suspensão traseira de veículos de tração de alto desempenho para garantir estabilidade e alta velocidade.

Como cuidar da suspensão de veículos?

A melhor maneira de fazer a manutenção preventiva da suspensão de veículos é realizando a inspeção periódica do conjunto. A intenção desse procedimento é diminuir a incidência de falhas ou danos no sistema.

Se o automóvel não tiver se envolvido em nenhuma colisão que exija a substituição da suspensão, ele deve ser examinado a cada 20 mil km rodados. Já as peças do conjunto devem ser trocadas entre 50 e 70 mil km rodados, pois são mais propícias ao desgaste.

O que fazer para prolongar a vida útil da suspensão?

Já que a vida útil dos amortecedores da suspensão veicular depende de como o carro é utilizado, reveja alguns hábitos:

  • não passe em elevações, como quebra-molas e lombadas na transversal. Ao contrário do que muitos motoristas pensam, o recomendado é dirigir-se a elas de frente para dividir o peso do automóvel entre as rodas;
  • evite rebaixar o automóvel e transportar peso excessivo. É importante não fazer alterações prejudiciais, bem como seguir os limites de carga definidos pelo manual do proprietário;
  • não corra em alta velocidade em estradas esburacadas.

Importante! Vale ressaltar que carros importados podem não ser uma boa ideia, pois eles nem sempre são projetados para transitarem pelas vias do Brasil. Ou seja, se os cuidados necessários não forem tomados, a suspensão desse tipo de veículo pode não suportar os impactos.

E então, este guia básico sobre suspensão de veículos foi útil para você? Se sim, compartilhe o conteúdo com seus amigos nas redes sociais. Até a próxima!

Autor

O Carcheck é uma ferramenta que visa a segurança na negociação de veículos usados, permitindo ao consumidor analisar cuidadosamente vários indicadores de segurança além de toda a trajetória do veiculo desde o seu primeiro registro junto aos órgãos competentes(Detran, Denatran, Dnit, Financeiras e etc) até o dia da aquisição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *