Entenda como o aumento da frota de veículos afeta sua saúde

Entenda como o aumento da frota de veículos afeta sua saúde

O Brasil é um país extremamente “rodoviarista”, como mostram os indicadores referentes à compra de carros por aqui. São quase 50 milhões de carros, o que dá mais ou menos uma proporção de 1 carro para cada 4 habitantes. E isso são dados de 2014! Levando-se em conta que, segundo a Revista Veja, nossa frota de veículos cresce 11 vezes mais rápido do que a população, os números devem estar bem mais alarmantes. Isso gera impactos não só no trânsito, mas também na saúde das pessoas e é disso que vamos falar um pouco neste post.

Os gases prejudiciais da fumaça

Um dos problemas mais óbvios trazidos pelo excesso de veículos é a emissão de gases poluentes pelos escapamentos. Um carro normalmente emite pelo seu cano de escape diversas substâncias diferentes e que fazem mal à nossa saúde.

Monóxido de carbono

Em destaque podemos citar o monóxido de carbono (CO), um gás extremamente tóxico e perigoso porque ele não tem cheiro e pode causar asfixia. Ele se prende nas células do sangue no lugar do oxigênio e a pessoa, mesmo respirando, começa a sufocar.

Esse gás é tão perigoso que já aconteceram muitos acidentes letais, quando, por exemplo, pessoas permaneceram na garagem com o carro ligado.

Dióxido de carbono

Além do monóxido, temos também o dióxido de carbono (CO2) que até não faz mal à saúde. Ele é o gás que naturalmente exalamos quando soltamos o ar.

O problema aqui é que este é um dos principais causadores do conhecido “efeito estufa”, quando produzido em grande quantidade por meios não naturais, o que faz dele um dos gases responsáveis pelo aquecimento global.

Não podemos esquecer da poluição sonora

Enquanto é fácil lembrar do problema da fumaça produzida por uma frota de veículos que não para de crescer, a questão da poluição sonora não pode ser perdida de vista, ou melhor, de escuta.

O número exagerado de veículos no trânsito resulta em engarrafamentos que são verdadeiros geradores de poluição sonora, não só pelos motores ligados de diversos automóveis em conjunto, mas também as buzinas e acelerações que são típicas desse tipo de situação. Além dos motoristas presos no tráfego, também sofrem com a poluição do barulho excessivo os moradores da região e quem quer que trabalhe próximo a ruas que costumam congestionar.

Mas qual o perigo real da poluição sonora?

Apesar da poluição por ruído ser muitas vezes levada menos a sério do que a poluição do ar, ela também tem um impacto direto na nossa saúde. Nosso corpo não foi biologicamente preparado para ser exposto à grande quantidade de barulho que os seres humanos conseguem produzir em ambientes urbanos. De acordo com essareportagem da Veja, qualquer som acima dos 55 decibéis, o equivalente a uma pessoa falando em volume normal, é interpretado como uma agressão pelo nosso organismo que, em resposta, produz adrenalina, que é o hormônio que nos prepara para situações de perigo. A adrenalina contrai os músculos e nos deixa num estado de alerta elevado, algo muito útil pra fugir de um perigo real, mas que não é saudável quando estamos apenas presos no trânsito.

Um ruído alto momentâneo como um grito ou um estouro não vai acarretar grandes problemas, mas ficar horas exposto ao som alto, como preso num engarrafamento, por exemplo, vai fazer a pessoa produzir altos níveis de adrenalina, causando estresse, dores musculares, na coluna e, em casos mais severos, até um ataque cardíaco. E isso sem contar os danos causados à própria audição. Segundo reportagem da Folha, um engarrafamento em horário de pico numa cidade grande pode alcançar alarmantes 90 decibéis.

O que posso fazer para ajudar?

Para garantir que você faça parte da solução e não do problema, é sempre bom manter seu carro em ordem pra ter certeza de que ele não está emitindo mais gases do que devia, fique atento à hora de fazer a revisão, como indicamos neste post. Comprar um carro usado também ajuda a não aumentar desnecessariamente a frota de veículos do país, e aqui mostramos algumas outras vantagens de optar por um seminovo.

Não deixe de conferir e de comentar o que achou deste post!

 

Autor

O Carcheck é uma ferramenta que visa a segurança na negociação de veículos usados, permitindo ao consumidor analisar cuidadosamente vários indicadores de segurança além de toda a trajetória do veiculo desde o seu primeiro registro junto aos órgãos competentes(Detran, Denatran, Dnit, Financeiras e etc) até o dia da aquisição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *