Recall de veículos: o que você precisa saber sobre o assunto?

Recall de veículos: o que você precisa saber sobre o assunto?

Carros são máquinas extremamente complexas e, por mais que a tecnologia avance trazendo segurança, muitas vezes alguns lotes passam com problemas e chegam às mãos do consumidores com defeitos. Para tentar resolver essas falhas, as empresas fazem uso de um recurso chamado recall.

E embora o principal interessado seja o comprador, pois vai resguardar seu veículo e, muitas vezes, sua própria segurança e a de sua família, é comum no Brasil que o atendimento a essas convocações seja muito baixo. Para tentar reverter esse quadro, vamos explicar aqui o que é o recall, como ele funciona e qual a sua importância para o consumidor. Confira!

O que é recall?

A palavra recall vem do inglês e em uma tradução livre quer dizer “chamar de volta”. Na prática, ele é uma convocação do fabricante para que os compradores de determinados lotes se dirijam à montadora para que seja consertado o defeito do veículo que põe a sua segurança em risco.

A intenção não é só promover a resolução do problema, mas também resguardar a empresa produtora de qualquer responsabilidade legal sobre danos causados pela falha. Além disso, mantém a imagem da montadora perante o público. O recall acontece geralmente por meio de veículos de comunicação de massa, como televisão, rádio e jornais, convocando os donos dos itens com problemas a irem ao local indicado.

Há prazo para atender o chamado?

Depois de feito o anúncio, o consumidor tem direito de ir ao local quando bem entender e ter o conserto do seu carro realizado. Inclusive, se o cliente já tiver feito o reparo do defeito por conta própria, ele tem direito de ser ressarcido. Da mesma forma que se houver danos decorrentes causados pelo problema de origem, ele também pode receber os valores por meio das vias legais disponíveis. O chamado é um direito do cliente e o seu prazo não expira. O consumidor não só pode fazê-lo, como deve.

Posso vender um carro que não atendeu ao recall?

Legalmente o consumidor pode vender um carro que não tenha atendido ao recall, embora isso não seja ético. Entretanto, é obrigatório que ele inclua no Registro Nacional de Veículos Automotores informações sobre o comparecimento ao chamado. Caso haja dúvidas por parte do comprador, é só se informar a respeito ligando para a central da montadora do veículo que pretende adquirir. Se ficar explícito que o vendedor o passou para trás, ele pode acionar a justiça por danos morais, materiais e lucros cessantes.

Por que ter problemas lá na frente se você pode fazer valer seu direito e se prevenir? Se você é dono de um carro que foi chamado para um recall, não hesite em levá-lo à montadora e obter o conserto. É um direito seu e sua segurança deve vir em primeiro lugar. Se você quer comprar um carro e quer ter certeza da procedência, ligue para a central de atendimento da empresa fabricante e busque informações. Não arrisque!

Autor

O Carcheck proporciona uma negociação mais segura na compra do veículo usado. Antes de fechar negócio, é possível analisar indicadores de segurança, informações de seguradoras, além das condições atuais e rodagem junto aos órgãos competentes. Com a consulta, você também se previne de problemas como débitos em financiamentos, além de eventuais irregularidades que possam existir no veículo consultado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *