3 dicas de como transportar animais no carro

3 dicas de como transportar animais no carro

Animais de estimação demandam uma série de atenções e cuidados para garantir o conforto e a segurança deles. Entre eles, está a questão de levá-los em um passeio automotivo. Mais que uma medida preventiva para os animaizinhos, saber como transportar animais no carro também é uma ação que visa os cuidados com o veículo — seja ele usado ou seminovo — e o motorista.

Qual é a importância de conduzir com seus animais de estimação da maneira mais apropriada? Confira!

1- Riscos de transitar com os animais soltos no carro

Existem diversos equipamentos obrigatórios para acompanhar as suas viagens veiculares, mas os acessórios para transportar animais não estão entre eles. Em lei, a proibição está apenas imposta em casos de:

  • Art. 235: conduzir pessoas, animais ou carga nas partes externas do veículo, salvo nos casos devidamente autorizados; e
  • Art. 252: Dirigir o veículo (II) transportando pessoas, animais ou volume à sua esquerda ou entre os braços e pernas.

A infração é grave, no primeiro caso, enquanto condutores que desrespeitarem o segundo artigo responderão por uma infração média, se flagrados. Além disso, questões mais práticas tornam necessário o uso de acessórios específicos para o transporte de animais, como a própria segurança deles. Devidamente seguros por algum acessório, paradas bruscas e acidentes não causam lesões aos animais, na mesma medida que eles não vão desviar a atenção do condutor, evitando o risco acentuado de colisões.

2- Como transportar animais no carro em segurança

Trajetos curtos ou longos devem ser pensados da mesma maneira quando um dos passageiros é o animal de estimação. Afinal de contas, um cachorro de grande porte ou um filhote de gato doméstico podem se agitar com facilidade, desviando a atenção de quem está ao volante.

Em assentos adequados, cintos especiais e outros utilitários, os xodós da casa desfrutam de segurança, mas sem perder o conforto de rodar muitos ou poucos quilômetros até o destino. No próprio carro, inclusive, já existem outros elementos que proporcionam mais qualidade aos passeios, como as janelas.

Parcialmente abertas, garantem a ventilação adequada do ambiente — e a satisfação dos animaizinhos em sentir a brisa de manhãs e tardes ensolaradas. Uma identificação no animalzinho (como as pequenas placas presas à coleira) também é importante, caso ele se perca durante o percurso. A medida facilita na procura deles, por isso, acrescente informações importantes à plaqueta, como o nome do animalzinho doméstico e um número de telefone para contato.

3- Dicas e acessórios para o transporte de animais

Como o setor de pet shop está em alta, muitos acessórios têm trazido versatilidade a quem não abre mão de levar seus cães, gatos e outros animais domésticos em seus passeios. Entre eles:

  • Cinto de segurança: de modelos variados, adaptam-se ao porte do seu animal de estimação para garantir a segurança dele durante os trajetos;
  • Caixas de transporte: com ventilação adequada e alças para o transporte, as caixas são ótimas para levar cães e gatos;
  • Grades: em veículos com espaço para transporte na traseira, as grades deixam os animais à vontade e sem a possibilidade de invadir os bancos da frente;
  • Assentos: cães e gatos de até médio porte podem ser levados em cadeiras e assentos que os mantêm fixados por uma coleira peitoral.

Algumas dicas podem complementar o passeio mais tranquilo e seguro, como:

  • Não alimente os animais durante a viagem, mas com 4 horas de antecedência;
  • Leve para o passeio itens que os deixem mais confortáveis e seguros;
  • Em viagens longas, programe paradas a cada duas ou três horas para que eles caminhem, façam suas necessidades e brinquem.
  • Para gatos, é viável levar a caixa com areia sanitária e um pouco de água.

Gostou das dicas sobre como transportar animais no carro? Não deixe de compartilhar as suas experiências!

 

Autor

O Carcheck é uma ferramenta que visa a segurança na negociação de veículos usados, permitindo ao consumidor analisar cuidadosamente vários indicadores de segurança além de toda a trajetória do veiculo desde o seu primeiro registro junto aos órgãos competentes(Detran, Denatran, Dnit, Financeiras e etc) até o dia da aquisição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *