Vai trocar de caminhão? Leia este texto antes!

Vai trocar de caminhão? Leia este texto antes!

A compra de um caminhão, novo ou usado, exige alguns cuidados para garantir um bom negócio. Como o veículo será utilizado para trabalho, o ideal é planejar primeiro e entender as reais necessidades que o novo modelo precisa atender.

Separamos para o post de hoje algumas dicas do que você precisa analisar antes de fazer qualquer negociação! Confira.

Tenha em mente sua necessidade

Como dito, a troca de um caminhão deve ser feita com base em um planejamento. Quando vamos comprar um carro, por exemplo, muitas das vezes, a decisão é levada pelo nosso lado emocional. Para veículos pesados, isso não deve acontecer. Primeiro porque o investimento é mais alto, e segundo porque adquirir um caminhão que não atende a suas necessidades, além de ser mau negócio, irá render grandes dores de cabeça.

Antes de fechar o acordo, tenha certeza dos seguintes detalhes:

  • Qual tipo de carga o caminhão vai carregar;
  • De qual o tipo de carroceria você vai necessitar;
  • Qual é o desempenho esperado. O caminhão precisa de um bom desempenho em motorização ou força para carregar cargas pesadas?;
  • Em qual tipo de estrada você vai andar. Se for muita serra, é bom ter um veículo com bom torque. Caso passe por estradas de terra, o melhor é ter um modelo mais resistente e robusto.

Analise os diferentes modelos

De acordo com a sua necessidade, você pode analisar a funcionalidade que o novo caminhão deve oferecer. Quando se anda muito na cidade, fazendo transporte urbano, o mais indicado é o uso do ¾, que tem capacidade limitada de 3 a 7 toneladas. Estes modelos escapam de algumas exigências impostas pelos municípios sobre a regulação de circular em áreas centrais das cidades.

Outra categoria é o Toco ou Intermediário. Eles possuem carroceria ou podem ser baú refrigerado, caçamba ou ainda coletor de lixo.

Existe também o Truck, considerado semipesado, com capacidade para transportar 24 toneladas e pode rodar na cidade e na rodovia.

O quarto modelo é o Extrapesado, com capacidade para puxar mais de 24 toneladas e é formado por cabine, motor e rodas de tração.

Leve em conta sua experiência

Se você é o motorista, coloque no papel os fatores que mais desfavoreceram seu trabalho com o antigo modelo. Isso contribui para criar um parâmetro do que você deve fugir na hora de fechar o próximo negócio.

Quando for o caso de outros motoristas dirigindo o veículo, consulte-os e verifique o que havia de deficiência. Com o novo caminhão, procure preencher essas lacunas. Vale, inclusive, apresentar essa lista para o vendedor e explicar a ele que pretende adquirir algo que supere os itens relacionados.

Cuide para se manter legalizado

Todo caminhão pode passar por uma balança durante as viagens. Por isso, quando for adquirir um modelo novo, você precisa pensar na relação carroceria e peso a ser carregado. É preciso encontrar o ponto de adequação para conseguir distribuir a carga de forma a evitar o sobrepeso e de ser multado em uma barreira, pois há legislação que trata sobre o limite de velocidade para determinadas cargas. Confirme esses dados antes de definir a compra do seu caminhão. Veja se o modelo em que você se interessou se enquadra nas exigências.

Atente-se às formas de pagamento

A compra de caminhões à vista costuma exigir formas de pagamento mais complicadas, justamente porque o valor a ser investido é alto. Em muitos casos, a expectativa é que o próprio veículo pague as dívidas. Ou seja, o trabalho a partir dele vai permitir quitar as parcelas de um financiamento. Quem consegue fazer a compra à vista, geralmente garante melhor preço e foge dos juros.

Para os que não têm pressa na compra, pretendem parcelar e não pagar juros, é possível escolher um consórcio, em que as prestações podem chegar a ser divididas em até 100 vezes. Só atente-se para as taxas de administração, evitando que cheguem a um valor muito alto.

Outra possibilidade é realizar um leasing, opção escolhida por muitas empresas. Nessa modalidade de financiamento, o veículo é repassado para um motorista, que paga uma espécie de “aluguel”, que nada mais é que o pagamento parcelado. Ao final do leasing, quem pagava pode escolher pela compra. Há incidência de juros, na média de 1,75% ao mês.

O financiamento, ou crédito direto ao consumidor, é uma maneira muito procurada por pessoas físicas. Os prazos, na maioria dos casos, giram em torno de 24 meses, e a taxa de juros com uma média de 1,8% ao mês, uma das taxas mais altas entre as formas de pagamento.

Quem pretende comprar um veículo novo pode recorrer ao Finame, que é considerada a forma mais em conta para parcelar um caminhão. O prazo de carência para iniciar o pagamento fica entre 3 a 12 meses, sendo 100% do valor podendo ser financiado em até 60 meses e os juros ficam na média de 8% a 13% ao ano.

Seguindo nossas dicas fica mais fácil fechar uma compra mais certeira e ter sucesso nas negociações. Lembre-se: para modelos usados, nunca deixe de pesquisar o histórico do veículo, fazendo buscas em sites especializados. Compartilhe e comente nosso post!

 

Autor

O Carcheck é uma ferramenta que visa a segurança na negociação de veículos usados, permitindo ao consumidor analisar cuidadosamente vários indicadores de segurança além de toda a trajetória do veiculo desde o seu primeiro registro junto aos órgãos competentes(Detran, Denatran, Dnit, Financeiras e etc) até o dia da aquisição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *